sábado, 1 de dezembro de 2012

Dar de comer a um milhão de portugueses



Sobre o vinho com a marca Memórias de Salazar já escrevi aqui o que tinha para escrever
Só volto ao assunto, porque esta semana  ficou a saber-se que o INPI chumbou a marca por, alegadamente, ter elementos susceptíveis de pôr em causa a ordem pública
Ao tomarem a decisão de proibir a marca, os dirigentes do INPI demonstraram ter o mesmo número de neurónios do presidente da câmara de Santa Comba. Se ao menos argumentassem que não se brinca com o espírito de Salazar, a viver entre Massamá e S. Bento, por vontade expressa dos eleitores portugueses, vá que não vá. Agora dizer que a marca pode por em causa a ordem pública, francamente!

6 comentários:

  1. Segundo li algures, consta que o produtor está falido, daí que, com ou sem proibição, a produção não tenha pernas para andar. Ou cambalear... :)

    Não consegui abrir o segundo link!

    ResponderEliminar
  2. Carlos,
    não deu para saber quais seriam os elementos que eventualmente poriam em causa a ordem pública caso a marca do vinho tivesse sido aprovada. ( o link não nos levou aonde tu querias)
    De qualquer modo, seria um tremendo paradoxo que o nome do homem que manteve Portugal no obscurantismo durante quase meio século, fosse usado para fomentar o desenvolvimento no Concelho de Santa Comba! Já agora com o mesmo slogan..:))
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Diz muito bem: a viver entre Massamá e São Bento...

    ResponderEliminar
  4. Piores 'Salazares' passeiam-se um pouco por tido o lado e não têm marca em coisa nenhuma.
    Por enquanto.

    ResponderEliminar
  5. É não ter a noção do ridículo.
    Acho que algo de anormal, e bastante "salazarento" está a acontecer actualmente à ordem pública, pelo menos a quem está incumbido de a manter.

    ResponderEliminar