sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Só uma perguntinha, senhor primeiro ministro...


Muito boa tarde, senhor primeiro-ministro
Não lhe vou perguntar se estava a ser honesto quando afirmou, durante a campanha eleitoral, que já tinha feito estudos e estava em condições de garantir aos portugueses que não era necessário despedir ninguém, nem reduzir salários, nem cortar subsídios, para pagar a dívida e reduzi o défice. Para quem tivesse dúvidas, as medidas tomadas nestes 16 meses de governo respondem por si. Os portugueses ficaram a saber que têm um primeiro-ministro cujo conceito de honestidade pede meças a Al Capone. 
Também não o questiono sobre o seu estado de saúde, físico e mental, porque o senhor já disse publicamente que  está de boa saúde, dorme bem e de consciência tranquila o que, sendo preocupante quanto à noção que o senhor tem de consciência, evidencia também que ainda não percebeu que tem as mãos sujas de sangue, porque está a condenar milhares de portugueses a morrer de fome.
A minha pergunta é, por isso, muito simples:
Suponha que se encontra numa situação em que lhe é impossível cumprir uma dívida que contraiu a um banco. Pede ajuda aos seus amigos, mas eles recusam-lha. A única solução é pagar a dívida ou condenar as suas filhas a passar fome. O que faria?
Sabe o que me aterroriza, senhor primeiro ministro? É a sua resposta!
Aquele que condena alguém à fome para pagar uma dívida, mesmo sabendo que está a ser vítima de agiotagem, não é apenas idiota, é  criminoso!
O genocídio a que está a sujeitar os portugueses deveria ser julgado no Tribunal Penal Internacional, porque o senhor está a agir como Slobodan Milosevic. Sem usar armas de fogo, é certo, mas não é por isso que deixa de ser um criminoso.
Eu sei que nunca será julgado no TPI, mas talvez um dia destes alguém atingido pelo desespero e sem nada a perder, faça justiça pelas suas próprias mãos. É sempre uma hipótese que, embora remota, não deve descartar, senhor primeiro-ministro!

10 comentários:

  1. Passos Coelho já não precisa do Relvas para assaltar o Banco de Portugal

    http://utopiarealista.blogspot.pt/2012/10/agora-ou-nunca.html

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Carlos, por o ter escrito, também já tive ganas de escrever exactamente o mesmo, que um dia destes alguém desesperado poderá fazer justiça pelas próprias mãos, mas duvidei de meu próprio pensamento...

    ResponderEliminar
  3. Não tenho dúvida de que caso a situação se mantenha, ou piore, surja alguém de cabeça perdida que cometa um acto complicado.

    Os 'gorilas' tentam guardar costas mas um dia, não sei não.

    ResponderEliminar
  4. Os dramas vivem ao nosso lado ou muito perto!
    Todos os dias vemos, ouvimos e lemos histórias de vidas absolutamente desesperadas!

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Ainda não vivo desesperado. Mas conheço quem viva, apesar de, juntamente com a mulher, terem pensões que já foram bem acima da média. Também já tiveram as filhas e os genros empregados. Agora, têm apenas uma filha ainda empregada. E são as pensões deles, que pareciam garantir-lhes uma velhice tranquila, juntamente com o vencimento de uma filha, que estão a garantir a subsistência de toda a família, incluindo três netos com idades entre os 4 e os 11 anos.

    Não me surpreende que pessoas nestas condições tenham vontade de se tornarem justiceiras. E, em determinadas circunstâncias, todos somos capazes de matar. A guerra colonial, onde convivi com jovens que pareciam inofensivos, demonstrou-o à saciedade. Muitas vezes de forma incontrolada, mas sempre cruel, como é próprio das guerras.

    O "primeiro" e os seus comparsas sabem bem porque andam rodeados de seguranças nas raras vezes em que aparecem. E o decrépito inquilino de Belém também sabe porque não sai da toca.

    Acautelam-se com a ira dos mansos.

    ResponderEliminar
  6. A senhora que me vem limpar a casa, teve um acidente de carro brutal em serviço e, evidentemente, meteu baixa.

    O patrão,pura e simplesmente, obrigou-a a trabalhar - mesmo com baixa - porque , caso contrário, a despediria já que "há muita gente por aí desempregada" e que até trabalhava "por menos que o seu ordenado".Que não é sequer o ordenado mínimo nacional.

    Quando a senhora lhe pôs a questão da inspecção respondeu que "se esses gajos aparecerem, digo que não sei nada de você".

    É a este estado de terror que os animais a quem parte do "melhor povo do mundo" deu o Poder reduziram a vida de milhões de portugueses e portuguesas!!

    Passos e Portas , Borges e Gaspar - até a múmia idiota de Belém -que se cuidem.

    Seria melhor lembrarem-se de como , em plena ditadura dessa medonha criatura chamada FRanco, o carro onde seguia o fascista Carrera Blanco voou por cima de um prédui com tr~es andares.

    Quanto a Relvas, esse pode fazer tudo quanto lhe passar pela cabeça porque tem feito o trabalho sujo necessário à ascensão de Passos.

    Bom resto de dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando Carrera Blanco foi pelos ares (há quantos anos, e como voei pelo tempo!) brincava-se dizendo que ele tinha batido o record mundial do salto em altura.

      Eliminar
  7. Devíamos seguir o exemplo da Islândia, e condenar e prender os responsáveis pelas políticas criminosas de que estamos a ser alvo!
    Isso sim, seria justiça!

    ResponderEliminar
  8. Sinceramente, não quero pensar numa tal hipótese. Acho que o drama que vivemos tem que ter uma solução. Mas outra solução.

    ResponderEliminar
  9. Meu amigo a minha esperança é que alguém faça justiça, como o amigo escreveu nesta excelente mensagem.
    Subscrevo e assino tudo.

    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar