sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O embuste


Este governo é muito lesto a cumprir as ordens da troika, quando se trata de cortar salários e usurpar os direitos dos cidadãos, porque sabe que o tuga é manso e não passa dos gemidos- acompanhados de alguma gritaria- para a acção.
No entanto, quando se trata de executar as medidas da troika que mexem com interesses instalados e lóbis, é como a guitarra do Paco Bandeira... "toca baixinho". Mexer nas parcerias público privadas? Está quieto, porque eles são poderosos e podem causar problemas! Fingimos que mexemos, compramos uns jornalistas para o confirmarem e  partimos para outra.
 Cortar nas rendas da energia?  Está bem, vamos fazer umas cócegas, mas sem provocar a reacção do governo chinês a quem vendemos a REN e a EDP ( essa da privatização foi só para enganar os papalvos).
Reforma autárquica? Nós bem queríamos cortar municípios, mas o PSD não deixa, por isso vamos cortar muitas freguesias a ver se a troika engole a patranha.
Relvas e Cª parecem estar muito satisfeitos com a estratégia mas, quando a ideia passar à prática, vão ver como lhes vai estourar nas mãos!
Com mais ou menos protesto, lá têm conseguido desertificar o interior eliminando escolas, hospitais, tribunais e outros serviços públicos e deixando as populações ao abandono. Estes cortes seriam suficientes para colocar sérias dificuldades aos partidos do governo nas próximas eleições autárquicas, mas a eliminação de centenas de freguesias, feita sem critério e com desconhecimento total da realidade, vai sair cara ao governo e as poupanças com a medida serão irrisórias.Os municípios é que são os grandes gastadores e Luís Filipe Menezes o despesista mor ( embora a sua obra em Gaia seja reconhecida e meritória, a câmara é uma das mais endividadas do país. Já imaginaram o que será quando o homem estiver no Porto?)
O governo tentou reduzir os danos e enganar a troika, não mexendo nos municípios, mas as populações não se vão deixar enganar  e mostrarão que não aceitam o embuste. Mais do que um Verão quente, adivinho um Outono e Inverno escaldantes, em resultado de uma medida pensada com os pés e com desprezo total pelas populações e pelas recomendações da troika.
Mais do que chamuscar-se, este governo corre o risco de esturricar na grelha, vítima dos seus efeitos pirotécnicos.

3 comentários:

  1. " O tuga é manso": gostei do coloquialismo da expressão!!!

    ResponderEliminar
  2. Este há-de ser sempre o problema dos vendedores da banha da cobra, há sempre alguém que acredita neles uma vez, a segunda é que já não é tão fácil.
    Os célebres 2/3 na despesa e 1/3 na receita esfumaram-se, pois nem a receira aumentou o necessário, nem a despesa emagreceu o que era devido, muito embora o zé pagante tenha sido bem espremido, nomeadamente a função pública.
    A troika meteu água, o governo meteu água, as previsões meteram água, o BP meteu água, agora quem paga? É o mexilhão diz o homem que lança foguetes por não ter atingido os objetivos e os que o surpreenderam (crescimento das exportações) ainda se devem ao governo anterior.

    ResponderEliminar
  3. Este governo está já a dar sinais de enfraquecimento.
    E os 'laranjinhas', barões ou não, estão a dar para trás nos Coelhos e outros animais.

    ResponderEliminar