segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Marcelo, o terapeuta familiar


Nos últimos dias, o país tem assistido com surpresa às picardias entre os dois parceiros de coligação.  Como não conseguiram resolver as suas divergências em privado, começaram a lavar roupa suja em público.É clássico em alguns casamentos.
Toda a gente sabe que não passa de um arrufo de namorados, mas Marcelo Rebelo de Sousa ontem, na TVI, viu-se obrigado a despir as vestes de professor e vestiu as de terapeuta familiar. Em resumo, disse isto:
"Vá lá, portem-se bem. Não deitem tudo a perder. Vocês têm de ser um casal estável e deixar de fazer essas cenas em público. Resolvam as coisas na intimidade do lar, se não querem pôr em risco o fabuloso dote que os portugueses vos entregaram ano passado. Tu, Paulo, deixa de irritar o Pedro e tu, Pedro, impõe a tua autoridade lá em casa e mostra quem manda. Se o Paulo fizer fitas dá-lhe duas chapadas  que ele amoucha. Mas não faças isso em público, pelo amor de Deus! Na vida de um casal há que saber preservar a intimidade. Durmam até em camas separadas, se quiserem, mas não deixem que a opinião pública perceba que o casamento está a correr mal. Salvem as aparências, ok?"

14 comentários:

  1. Inqualificavel o comentário do MRS. Interessou-lhe foi desculpar as partes...

    ResponderEliminar
  2. O Prof. já ia para casa REFORMADO!

    A Judice Sousa parece-me que está a prestar um mau serviço à democracia (?)

    ResponderEliminar
  3. O Marcelo como terapeuta familiar é pura e simplesmente extraordinário!!!

    Vou sugerir ao nosso antigo Presidente, Christian Wulff, para contratar imediatamente o MRS, a fim de salvar o seu casamento com a Bettina Wulff, que nos últimos dias, anda a lavar roupa suja em público. Só que com duas chapadas, a Bettina não amoucha.

    É clássico nalguns casamentos, como o Carlos diz, as vítimas são as criancinhas (povo).

    ResponderEliminar
  4. Mais um que tem medo de perder o "tacho"....... de psicólogo :))

    beijinhos amigo Carlos e boa semana

    ResponderEliminar
  5. Não foi exactamente isso que MRS disse.
    Nestas coisas em que julgamos poder usar a nossa liberdade sem olhar à dos outros, é preciso cuidado.
    É certo que aprecio as conversas de Marcelo e quase todos os domingos as oiço. De resto, o único espaço televisivo da TVI que me tem como espectador.
    O homem sabe o que diz. Nem sequer é daqueles que anda à procura de tacho.
    E para quem diz que Marcelo já devia estar reformado, sugiro: reforme-se.
    Estou à vontade porque não alinho em cores partidárias.
    A Judite de Sousa está a prestar um mal à democracia, 'rosaamarela'?
    Pode explicar porquê? Obrigado.

    ResponderEliminar
  6. Há quem diga que entre marido e mulher ninguém deve meter a colher... Eu por acaso gosto bastante de ouvir o Professor Marcelo, mas pôr os dois arrufados na ordem e apelar ao bom senso não seria trabalho do PR? Pergunto eu, assim como quem não quer a coisa...
    Por muito menos do que isto o desgraçado do Santana saltou da cadeira! Claro que o PR não era esta nulidade que agora temos.

    ResponderEliminar
  7. Observador!

    Só lhe respondo pelo respeito que tenho a este blog.

    O Prof Marcelo tem que falar uma linguagem mais clara para que todos o percebam.

    A Judite que eu até tenho alguma admiração por ela, soube manter-se fisica e profissionalmente bem, anda a pôr demasiados paninhos quentes nos Prof. Drs.

    Cmpts,

    ResponderEliminar
  8. Só mais uma coisinha, Observador, não me posso reformar, aqui onde estou ainda faço falta e sou muito apreciada, gostam de mim.

    Sou mulher, luto diariamente para me “impor e sobreviver”, e faço contas, quer dizer, viver em crise é o meu modo permanente de vida.

    Já fui emigrante e voltei !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 'rosaamarela'

      Também só lhe respondo por respeito não ao blogue, porque é uma coisa, mas ao proprietário do mesmo e a mim próprio.

      O Marcelo falar de forma AINDA mais clara é impossível.
      Quem não percebe o que ele diz é porque está distraído.
      Ou com má vontade.
      Não compreendo, sinceramente, o que quer dizer com "anda a pôr demasiados paninhos quentes nos Prof. Drs."

      Quanto ao seu acrescento, intitulado "Só mais uma coisinha...", folgo em saber que faz falta onde está - não me diga que é política!!! - e por gostarem de si.
      Tal e qual o que se passa comigo, sendo que eu mas tenho sempre forma de continuarem a gostar mesmo depois de reformado.
      Percebo que seja mulher, a menos que o 'nick' fosse forjado, entendo que lute por se impôr e sobreviver (não é o que fazemos todos?).
      Viver em crise é que não. Desculpará mas isso não me dá jeito nenhum.
      Mas o que hei-de fazer? Sou alérgico a crises. Até às de fígado.

      Nunca fui emigrante. Sempre preferi o meu País. Pode chamar-lhe uma mania. Eu responderei ... feitios!!

      Mesmo que não me tenha cumprimentado, eu faço-o. Gosto de fazer a diferença.

      Cumprimentos e felicidades.

      Eliminar
    2. Meu caro observador, vou-me meter ao barulho!!!

      Não sou emigrante.
      Viver na Alemanha foi o meu sonho desde criança.
      Mas a maior parte dos emigrantes portugueses também preferiam viver no nosso país, mas infelizmente, nasceram numa zona diferente da sua, onde não há manias, nem feitios, há só falta de meios para sustentar a família.

      Saudação de Düsseldorf.

      Eliminar
    3. Peço perdão mas não sei se 'ematejoca' é um senhor ou uma senhora.
      Irrelevante, para o efeito.

      Não me terei feito entender. É bom, e ainda bem que se meteu ao barulho, que perceba que não tive nem tenho nada contra os emigrantes.
      Percebo claramente, porque tenho familiares e amigos emigrantes, o que é sê-lo.
      Apenas disse, e repito, que nunca saí do País. Poderia tê-lo feito, por opção. Recusei sempre deixar o nosso País, talvez porque nunca senti necessidade de o fazer e porque gosto muito de ser português e de estar em Portugal.
      Quando usei os termos "manias" e " feitios" não o fiz de forma depreciativa.

      Cumprimentos from Almada to Düsseldorf com votos de boa saúde.

      Eliminar
    4. Meu caro observador:

      Sou uma mulher do Norte de Portugal, que vive em Düsseldorf e, agora vou explicar-lhe o que significa
      o nome do meu blogue:

      EMA TE(RESA) JO(SEFINA) CA(RINA) = EMATEJOCA

      Não é o meu nome verdadeiro, mas podia ser.

      Agradeço os votos de boa saúde que retríbuo.

      Eliminar
    5. Grato fico pelo esclarecimento, "Ema Teresa Josefina Carina".
      :)

      Como se diz, "é uma mulher do norte, carago!!!"

      Nome verdadeiro ou não, pouca relevância trás ao assunto.

      Agradeço a retribuição dos votos de boa saúde.

      Cumprimento-a com a informação de que vou adicionar o link do seu blogue à 'lista dos blogues que acompanho'.




      Eliminar