sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O (verdadeiro) desvio colossal

Confirmada ontem a inépcia de Vítor Gaspar, que sempre confiou nas teorias dos livros mas descurou a realidade, o governo  veio reconhecer a sua incapacidade para gerir a crise e decidiu entregar o futuro do país nas mãos da troika,
A solução está à frente daqueles narizes, mas o (des)governo não a vê, porque apesar de ter uma bola de cristal que lhe permite adivinhar o futuro, não sabe como funciona. Daí que ano passado tenha falado de "desvio colossal" nas contas públicas. 
Apesar de a escumalha  governadeira nunca ter esclarecido onde estava o desvio, nem o seu montante, toda a gente pensou que a corja se referia a uma herança do governo de Sócrates, mas agora sabe-se que afinal se  tratava de um desvio de mais de 3 mil milhões em relação às previsões para este ano.Ou seja, da responsabilidade deste governo.
Gaspar começou por dizer que as contas da receita fiscal estavam a correr mal, mas à noite lá foi o ministro-sombra António Borges dizer à Judite que este desvio era previsível e (pasme-se...) que não serão necessárias mais medidas de austeridade. (O  homem, apesar de aparentemente ser apenas conselheiro falou  como primeiro-ministro, o que também me deixou a pensar cá numas coisas...)
Ora, segundo relata a imprensa, a troika não está de acordo, pelo que será curioso ver, nos próximos dias, como vai terminar  a contenda.
Se a troika insistir que se devem cortar os salários dos funcionários públicos e pensões dos reformados, mas não mexer nos salários do sector privado, como é que o governo vai descalçar a bota? Vai-se marimbar para a decisão do Tribunal Constitucional?
Sinceramente,se isso vier a acontecer, já não me espanta.
O que me espantou, foi ver ontem António Borges na TVI a falar das privatizações da RTP e da TAP, em nome do governo, apesar de não ser ministro. Que Relvas se remeta ao silêncio, até percebo, agora que Álvaro faça figura de abóbora e deixe essa tarefa nas mãos de Borges é que me custa a entender...
A não ser que se confirme que Álvaro manda tanto no governo  e percebe tanto de Economia como eu... o que também não será uma boa notícia, porque ninguém aguenta durante muito tempo ser apontado como nabo pela vizinhança, quanto mais em conselho de ministros!



4 comentários:

  1. Pois a incompetência, blá, blá, blá. E isso importa alguma coisa na política, Carlos?

    ResponderEliminar
  2. António Borges, essa eminência parda, será mesmo competente?? Tenho as minhas dúvidas!

    Do que não tenho dúvidas é de que detém um poder incrível e que o Governo é uma cambada de idiotas....com o aval do bom e manso povo português, que os escolheu!!

    Mas como a oposição também está como se sabe e a Esquerda continua desunida...aguentemos!


    Um abraço, Carlos

    ResponderEliminar
  3. Sócrates ainda será o culpado desta louca derrapagem?!:-))
    A brincar mas com vontade de chorar...

    ResponderEliminar
  4. Como se diz acima, Borges, a verdadeira eminência parda deste (des)governo...ontém na SICN foi sintomático o desconforto do João Almeida do CDS-PP, mas é só esperar um pouco que o Portas já lhe faz o briefing...

    ResponderEliminar