sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O grande drama

O grande drama  não é só o aumento do desemprego e o número de famílias que se viram sem casa e a viver em condições de miséria; 
Não é saber que a dívida pública aumentou, apesar da diminuição drástica dos salários dos funcionários públicos e do roubo aos reformados;
Não é perceber que o governo falhou todas as metas do défice e as previsões quanto às receitas- coisa óbvia para qualquer miúdo com a quarta classe;
Não é, ainda, ver a forma iníqua como trata as pessoas, beneficiando os das cores laranja ( e também azuis e amarelos, de que nunca se fale, mas vale a pena recordar) que os bajulam e beijam os pés;
Não é, apesar de tudo, ver a sua subserviência à troika, a sua insensibilidade com os dramas sociais e a forma ultrajante como rouba a quem trabalha, para entregar nas mãos de quem mais tem;
Não é, sequer, constatar que as políticas deste governo estão completamente erradas e nos vão conduzir a todos a condições de vida indignas. (Excepto, claro, aos do costume).
O grande drama é este governo, perante a desgraça que se avizinha, continuar a agir como uma barata tonta sem saber o que fazer para resolver os problemas do país, agarrando-se às imposições da troika como a única tábua de salvação ( mas também como passa culpas) e bajulando os agiotas.

1 comentário:

  1. Carlos
    Permita-me acrescentar aquilo que me parece ser o maior drama: A incapacidade de ver uma oposição eficaz que se junte no que é fundamental e trabalhe para rápidamente correr com esta "comissão liquidatária" que dá pelo nome de Governo.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar