sexta-feira, 31 de agosto de 2012

É chegada a hora de devolver tudo ao remetente

Como costumava perguntar a bengala do Relvas, quando o PS era governo, a pergunta que se impõe é esta:
Vivemos  melhor do que há um ano? Obviamente que não, mas é sempre bom lembrar o que ficou para trás...
Teixeira dos Santos, nos primeiros dois ou três anos de governação socialista, conseguiu reduzir o défice abaixo dos 3%. Com algumas medidas de austeridade que afectaram essencialmente os funcionários públicos, é verdade,alguns aumentos de impostos, mas pouco mais. E o desemprego até baixou em relação aos 7,4% herdados do governo Barroso/Santana.
Depois veio a crise europeia, as arengas de serviço começaram a almoçar à borla com passos Coelho e este deu-lhes instruções para escreverem nos blogs e nos jornais onde se apascentavam, que isso da crise era uma invenção de Sócrates para esconder a sua incompetência.
A escumalha arregimentada cumpriu escrupulosamente a tarefa de que fora incumbida, foi devidamente compensada e agora ou remete-se ao silêncio ou tece loas à governabilidade. É natural... com aqueles vencimentos nos gabinetes e conselhos de administração, acoplados a despesas de representação, telemóveis à borla , cuzinhos tremidos embalados por motoristas e outras mordomias,obviamente que vivem melhor do que há um ano. Por isso omitem a realidade como se pelo facto de sobre ela não escreverem, não existisse.  É chegada a hora de devolver a acusação a esta gentalha.
Este governo, cuja  ideologia dominante é roubar a quem trabalha para dar aos agiotas,  conseguiu em apenas um ano - depois de sujeitar os portugueses a medidas draconianas de austeridade- aumentar o défice, diminuir a receita e disparar o desemprego.
Não me venham com as histórias da carochinha da crise internacional. Ela já existia no governo de Sócrates e não vivíamos tão mal como agora. Além disso, aquele grupo de marmanjos que nos anda a roubar afirmava, há um ano, que a crise internacional era uma desculpa esfarrapada do governo, para justificar a sua incompetência.
Os resultados da política desastrosa que tem vindo a ser seguida  demonstram que este governo é incompetente, cego e imaturo. Mas demonstra mais uma coisa... é constituído por gente desonesta que enganou os portugueses, jurando que iria salvar o país e nunca tomaria as medidas que começou a tomar ao fim de um mês de estar no poleiro.
Este governo, formado por homens e mulheres de contrafacção está a ir ao pote de forma descarada.
Se em Belém estivesse um Homem em vez de um boneco articulado pintado de laranja, este governo já teria sido demitido. Ou obrigado a demitir-se, porque está a arruinar Portugal

4 comentários:

  1. Carlos
    Subscrevo quase tudo por inteiro.
    No entanto não partilho da "absolvição" de "Sócrates" e do que ele representou. Continuo a pensar que quem mais contribui-o para que o sonho de Sá Carneiro se realizasse foi precisamente o PS de Sócrates e o PS que esteve quedo e mudo quando era evidente o resultado. Claro que chorar sobre leite derramado não resulta, mas muito antes era visível que isto ia acontecer.
    Mas o mais chato é que a tal parte que estava em silêncio quando devia falar, hoje continua na mesma, quando vemos o actual líder preparar-se para 2005. Até lá que raio de País restará para governar?
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  2. A crise, pelo menos a crise orçamental resolve-se com facilidade. Basta haver vontade para isso. Proibir as autarquias de se endividarem seria um contributo inestimável para isso. Serão cerca dez mil milhões!!! Ou seja vários buracos colossais.

    ResponderEliminar
  3. Dostoiewsky escreveu o "Crime e castigo"... e esta gente precisava precisamente disso.

    ResponderEliminar