sábado, 26 de maio de 2012

A gravata





O presidente da ERC, Carlos Magno, gostou imenso da gravata que o ministro Miguel Relvas levou à audição. Disse-o, ficou gravado. E esse facto, tão simples como elucidativo, é uma pressão que fica a pairar sobre as conclusões deste processo.
( João Marcelino no DN)


Se a este facto, juntarmos o comunicado da ERC, sobre os comentários dos leitores do DN, ainda ficamos mais esclarecidos.
Mas, ao fim e ao cabo, não há novidade nenhuma. As pessoas que  mentem sob juramento e as que não as demitem por esse facto, correm para debaixo das saias (ou agarram-se às calças) de quem pensam ter o dever de os proteger.
O  importante é nunca esquecer isto: Está provado que Relvas mentiu  sob juramento.  O PM disse há duas semanas que, quem mentisse, saía do governo. Passou uma semana e o PM continua a assobiar para o ar. 
Perante tanta falta de vergonha , para quê preocuparmo-nos com os gostos de Carlos Magno?


4 comentários:

  1. "O PM disse há duas semanas que, quem mentisse, saía do governo".

    Carlos e quem é que lá ficava?

    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  2. hoje era um bom dia para se cortar a relva.

    ResponderEliminar
  3. Faço a mesma pergunta que o amigo Rodrigo :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. E acham que o Passos os tem suficientemente no sítio para demitir o Relvas?
    É que:
    O Relvas é um traste do pior;
    O Relvas sabe muito de muita gente;
    Como se costuma dizer, quem tem cú tem medo;
    O Passos Coelho tem cú.
    Resumindo: O Relvas só sai se quiser e quando quiser.
    S. Bagonha

    ResponderEliminar