sexta-feira, 16 de março de 2012

Qual é a tua, ó Meo?



Há seis meses que mantenho um contencioso com o Meo. Primeiro as facturas começaram a extraviar-se, porque estranhamente mudaram o meu endereço, para outro que não existe.
Reclamei.  47 minutos depois  desistiram de insistir para que eu passasse a pagar por débito directo na minha conta bancária. Escaldado que estou, recusei  e resignaram-se. Acordámos que a factura  passaria a ser enviada por mail. No mês seguinte , a factura chegou… pelo correio e com o endereço correcto. Este mês recebo um SMS avisando que ainda não pagara a mensalidade. 
Voltei a telefonar.  Disseram-me para pagar pelo multibanco. Isso já eu sabia, mas cadê a facturazinha? Não pago sem factura, tá?
Pausa de sete minutos. A voz volta à linha para confirmar a minha morada. Depois pede o e-mail. OK. Agora espero pela factura e depois pago.
“Não, pague primeiro e nós enviamos a factura depois”
“ Já chegámos à Madeira? Onde é que já se viu isso?”
Mais quatro minutos de espera. Passam a chamada para  outra assistente que me atende com voz de enfado.   Repito a história toda desde o princípio. Começo a irritar-me, porque a cena já dura há seis meses.  
“Pronto, está bem, mas não lhe podemos enviar a factura, temos de enviar uma segunda via”
“Nas tintas! Quero é a factura, nem que seja em quinta via, mas sem factura não pago!”
“Não quer que lhe enviemos antes a factura… quer dizer a segunda via, por mail?”
“ Já tínhamos acordado isso há três meses!”
“ Então envio-lha já”
A conversa decorreu na segunda-feira. Escrevo este post na noite de quinta-feira. Vá a gente fiar-se na celeridade das novas tecnologias...

7 comentários:

  1. As culpadas não são as novas tecnologias, meu caro Carlos, eu diria, que é a estúpidez da maioria dos funcionários, neste caso, funcionárias.
    Aqui fala a experiência.

    ResponderEliminar
  2. Como falta preparo no setor de serviços não?
    E nada é pior que falar com essas atendentes. Até arrepio.
    Beijinhos

    Lucia

    ResponderEliminar
  3. A tua crónica é verdadeira e tão real, porque já vivida por ti e mais não sei quantos mil.
    É essa a razão porque me inibo de fazer mudanças. Não que eu esteja satisfeita com o que tenho mas vivo numa aldeia onde não chegaram ainda os cabos nem as fibras e, pior ainda, os telemóveis chegam dificilmente por estar situada entre duas zonas servidas por antenas cujo raio de ação termina em cima da dita aldeia.
    Agora imaginas o massacre que é receber constantemente telefonemas do telemarketing das operadoras de televisão, telemóveis e internet a oferecerem-me serviços que não podem fornecer? E afinal de quem é a culpa?
    Eu resumo apenas em... pura incompetência de quem coloca esta gente a vender desenfreadamente e sem qualquer espécie de qualidade e preparação até porque os contrata a prazo e não os prepara convenientemente para a função.

    Desculpa esta longa dissertação mas a minha Mãe, de 85 anos, que tem aderido a algumas destas armadilhas, está quase a ficar maluquinha com VÁRIOS telefonemas desses, quer para pagar, quer para reclamar, quer para cancelar o fornecimento dos serviços que contratou sem perceber certas cascas de banana que lhe foram lançadas.

    Concluindo... CUIDADO COM ELES!

    ResponderEliminar
  4. Só acredito porque és tu que contas!!
    A realidade ultrapassa a milhas a imaginação!!

    ResponderEliminar
  5. Carlos
    Apesar de já algumas horas ter publicado este post e ser a terceira vez que tento comentar, a primeira vez porque o sacana do computador (bloqueou, assunto que dava para um post) a segunda porque tive que interromper por aparecer um assunto importante a tratar. Ficou-me a marcar como uma daquelas coisas que achamos ter de dizer algo e não podemos deixar passar.
    Não me vou referir à operadora porque com essa nunca tive “relações”. Mas penso que o assunto pode ser extensível a outras e a outros ramos.
    É conhecido que esses assuntos são tratados através de call center(s) que são “abastecidos de mão de obra pelos tal “quinhentoseuristas" que acabam por fazer um mau trabalho em prol do consumidor que acaba por ser mal servido sem ter culpa nenhuma. Caro Carlos isto é assunto para um post mais elaborado e devidamente documentado.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  6. Neste momento anda um homem montado num escadote na minha casa a montar o Meofibra! Já há 3 horas, diga-se! Medo, muito medo, foi a sensação que tive depois de ler este post... :))

    ps - já tinha o Meo e nunca tive problemas, espero que o fibra não os acrescente... :D

    ResponderEliminar
  7. Já não vou mudar para a MEO. :)

    ResponderEliminar