domingo, 13 de novembro de 2011

Não matem a "movida" do Porto


Em Agosto de 2009 escrevia aqui sobre a "movida" do Porto
Descrevia, então, a satisfação de ver o centro da cidade animado à noite, com muitos jovens na rua, fazendo-me lembrar algumas cidades espanholas. Lamentava, porém, os exageros de alguns jovens que não sabem beber.
Desde então, voltei várias vezes à noite do Porto e, com o decorrer do tempo, fui percebendo que o encanto inicial se ia dissipando porque, a partir de determinada hora os vendedores ambulantes substituíam-se aos bares vendendo na rua bebidas a preços mais apetecíveis. Depois , o fenómeno do "botellón" importado de Espanha, começou também a invadir as ruas e, da última vez que passei pela noite tripeira, vi miúdas de 13 e 14 anos completamente embriagadas, sentadas em soleiras de portas, à espera sabe -se lá de quê.
Enquanto as ruas se animam, muitos bares estão às moscas e alguns em risco de encerrar as portas.
Rui Moreira, presidente da Associação Comercial do Porto, lançou o aviso: " São precisas regras para defender a movida do Porto"
Espero que as suas palavras não caiam em saco roto. Baixar as taxas e impostos dos estabelecimentos que dão vida nocturna ao Porto, permitindo-lhes praticar preços mais baixos, seria talvez uma boa medida, mas exercer mais fiscalização sobre os vendedores ambulantes e evitar a proliferação do "botellón" parece-me também necessário. E, acima de tudo, urgente, porque se a "movida" tripeira continuar a degradar-se, corre o risco de morrer com a crise.

10 comentários:

  1. Amigo Carlos:

    A última vez que fui ao Porto foi à mais de trinta anos, estou mesmo desactualizada ;)

    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  2. Passando pra deixar um abraço e a cada leitura um desejo de conhecer essas cidades lindas de Portugal, antes que a crise as maltrate rs
    boa semana Carlos
    abraço

    ResponderEliminar
  3. Carlos querido

    Não sei o que significa a palavra " movida".
    Concordo com o texto. Por aqui acontece o mesmo.
    beijinho

    Lucia

    ResponderEliminar
  4. CARLOS, triste quadro da cidade do Porto.
    Sabe,eu nasci em Vila Nova de Gaia,de onde sai aos sete anos de idade. Fui ao Porto muitas vezes e também quando voltei a Portugal.Tenho muitas lembranças da cidade.

    ResponderEliminar
  5. LUCIA LUZ
    "Movida" é uma expressão espanhola que se aplica à animação nocturna que começou a despontar em Madrid nos anos 80 e se alargou a (quase) todas as cidades espanholas

    ResponderEliminar
  6. Vai tudo sucumbir à asfixia geral!

    ResponderEliminar
  7. Para tudo na vida é preciso moderação e comedimento. Parece-me que cada vez mais isso é uma coisa que está em desuso entre os mais jovens. É uma pena. Assisti ao auge da movida em Espanha...vivia em Madrid. Foram tempos de alegria. Mas não me lembro de tantos execessos.

    ResponderEliminar
  8. E, na manhã do dia seguinte, quando vamos trabalhar só vemos o lixo (garrafas, papeis, camisinhas, etc.etc.) além de uns quantos/as pobres desgraçados que não atinaram com o caminho para casa.
    Se tentaram fazer uma cópia de Barcelona...

    ResponderEliminar
  9. A Virgínia já antecipou parte do meu comentário. De facto, exceptuando a noitada de S. João e a celebrações das conquistas do FêCêPê, não me lembro de ver a noite do Porto tão animada e movimentada, pena são os exageros muitas vezes desnecessários. Na manhã seguinte à movida o lixo e o pivete a urina faz repensar tudo isso. Digo então que se não querem ver a movida do Porto morta, deve ser o pessoal jovem e não jovem que enche as ruas de boa disposição os primeiros a cuidar bem da nossa cidade para que se mantenha viva e hospitaleira.

    ResponderEliminar