quarta-feira, 9 de novembro de 2011

The final countdown


Com os juros da Itália a subir acima dos 7% consumou-se a vitória dos mercados sobre a democracia europeia . Era um fim anunciado, porque a doença da Europa estava diagnosticada há muito, mas os médicos que a poderiam salvar recusaram-se sistematicamente a dar-lhe os medicamentos necessários para debelar a doença. Por medo e por incompetência.

Ofuscados pelo poder do dinheiro, obcecados pela fortaleza do euro, os líderes europeus que desgraçadamente nos governam esqueceram os seus países e os seus povos. Merkel e Sarkozy pensavam ser intocáveis e nunca admitiram que os seus países pudessem ser contagiados. A realidade mostra, agora, como estavam enganados. A senhora Merkel até pode desejar que a Europa cante em uníssono “Deutschland über alles”, mas o concerto custará muito caro em património e vidas humanas.

À beira do extertor, a Europa lança uma súplica a Mario Draghi, para que se esteja nas tintas para o Deutsche Bank e faça o que lhe é exigido. Mas terá o presidente do BCE coragem de ligar a máquina e lançar moeda nos mercados, provocando uma desvalorização do euro?

8 comentários:

  1. Talvez agora reajam, talvez a Elena Salgado (ministra de Economia y Hacienda del Gobierno de Espanha) engula o preconceito, sempre que aparecia na TV dizia “nós não somos Portugal” – para o bem e para o mal já não estamos sozinhos…

    ResponderEliminar
  2. Eu sempre achei uma calamidade quando ouvia dizer "nós não somos ..." e lá vinha o nome do pais em causa no momento.

    A situação da União Europeia faz-me pensar na seguinte metáfora: um dedo da mão é arrancado da mão a alguém , que despreocupadamente se reusa a colocar um penso rápido sequer e mesmo quando a febre alastra não toma medicamento algum e acaba por morrer de septicemia.

    ResponderEliminar
  3. No limite não vai ter outro remédio, se é que ainda vai a tempo, a descida da taxa de juros pode ter sido um sinal....

    ResponderEliminar
  4. só por curiosidade mórbida!!!

    "a dar-lhe os medicamentos necessários" QUAIS SÃO?

    ResponderEliminar
  5. E então? Não há respostas na ponta da língua para a minha simples e fácil pergunta?

    ResponderEliminar