terça-feira, 25 de outubro de 2011

Kadhaffi "à la carte"

Assisto com repulsa e indignação às imagens da morte bárbara de Kadhaffi, o homem que começou por ser ditador, depois foi-nos apresentado como democrata e escolhido pelos países ocidentais para presidir à Comissão de Direitos Humanos da ONU e finalmente voltou a ser ditador. Claro que há uma sequência lógica nesta mudança de opinião dos países ocidentais e explicação para que muitos se encham de júbilo perante a morte do líder líbio.

Na sua última homilia dominical, Marcelo Rebelo de Sousa sintetizou-a numa frase: " Kadhaffi não podia ir a julgamento. Tinha de ser morto, porque sabia demais".

Nós também sabemos. Por exemplo, que financiou as campanhas eleitorais de alguns líderes da direita europeia que hoje estão no poder. Por isso Sarkozy foi tão entusiasta na defesa da intervenção da NATO na Líbia. Kadhaffi morreu às mãos dos líbios? Mentira! Morreu às ordens de líderes que ele ajudou a chegar ao poder e por isso se sente perpassar um suspiro de alívio, por quem tem as mãos manchadas de sangue.

Não se perdeu nada com a morte de Kadhaffi, mas seria evitável uma morte tão bárbara. Só que a Europa, inspirada em Bush, regressou há tempos, à época da barbárie.

14 comentários:

  1. CARLOS, estou plenamente de acôrdo com voce.

    ResponderEliminar
  2. Concordo. A forma como os telejornais exploram esta notícia, a quantidade de vezes que surge a imagem do homem naquelas condições, é no minímo repugnante. Tudo para a continuação da "lavagem cerebral" que querem continuar a fazer aos Povos...
    Um abraço
    Ísis

    ResponderEliminar
  3. Pois é Carlos, mas também sabes que por detrás dum grande(?) lider há sempre mistérios insondáveis.
    Toda a gente tem direito a um julgamento, mas Kadhafi teve o fim que sabia que iria ter caso fosse apanhado. E até me parece que quis fazer jus a uma das suas máximas - viver na Líbia, morrer na Líbia. Tão anjinho ele foi. Teve uma vida dourada, podia ter um exílio prateado e acabou como todos sabemos, linchado!
    Cada vez tenho mais receio do fundamentalismo do povo árabe. Sangue, sangue, sangue, já que mil virgens os esperam.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. É uma imagem, absolutamente pavorosa... vi-a apenas uma vez, apesar de passar vezes sem conta na TV. Chocou-me pelo que resume nela - que concordo consigo, palavra por palavra!
    TUDO aquilo me chocou! Pergunto-me até: que mais ainda os meus olhos vão ver?

    ResponderEliminar
  5. Primeiramente quero dizer que sou contra a pena de morte, simplesmente porque não se faz justiça dessa forma.

    O meu irmão mais velho disse-me que podiam ter feito ao Kadhafi um «julgamento à Saddam», que ia dar ao mesmo. Não podia estar mais de acordo.

    Assim poupou-se tempo e chatices para toda a gente. Embora me custe dizer o que vou dizer a seguir: O Kadhafi como grande tratante que era, teve o que merecia, uma morte sem honra e sem digniadade, espancado e pontapeado como um cão até à morte e mesmo depois dela.

    Ressalvo que se fosse eu, não teria feito isso, mas em parte compreendo o que se passou.

    ResponderEliminar
  6. Carlosamigo

    Será que o povo quer sangue? Será que o share justifica a ignomínia? Será que a monstruosidade alimenta o mórbido?

    Uma vez mais estou ao teu lado e subscrevo o que escreves. Merda de Mundo, merda de gente, merda de nós!

    Abç

    ResponderEliminar
  7. Cenas horripilantes e indignas, mesmo para quem foi um tirano prepotente como Kadhaffi.
    Concordo contigo Carlos, o mundo voltou ao tempo da barbárie.

    ResponderEliminar
  8. Não se perdeu nada com a morte do traste, Carlos.
    Mas estes horrores ofendem.
    Mesmo quando se trata de um verme.

    ResponderEliminar
  9. Sr Carlos Lisboa,
    Os cães não merecem ser espancados e pontapeados até à morte.
    E anda por aí muito homem vivo, que só faz mal ao mundo. O Kadhafi uniu a Líbia, onde as tripos imperam como em quase toda a África. Espero bem que o Sarkozi morra num mirage francês, porque ele também já mandou maltratar muita gente, e muitos de nós ainda havemos de pagar as favas. Pois eu vi o vídeo mais do que uma vez, tirei fotografias porque a história não pode morrer. Há quem diga que o Holocauto não existiu, imaginem se não tivassem tirado fotografias!

    ResponderEliminar
  10. O sr Coimbra também está a viver à grande e à francesa num país onde comem vermes e matam as crianças a trabalhar.
    Muitoa anos de felicidade, porque só quem não se importa com os outros pode ser feliz.

    ResponderEliminar
  11. Anfritite: «Os cães não merecem ser espancados e pontapeados até à morte».

    E eu por acaso disse que mereciam?

    O que eu disse é que o Kadhafi foi espancado e pontapeado até à morte como um cão, o que não quer dizer que eu subscreva esse tipo de tratamento, mesmo para um cão. Além de que estava a falar num sentido mais ou menos figurado.

    ResponderEliminar