sábado, 22 de outubro de 2011

Decreto do Governo proibe fim do mundo

Devo um pedido de desculpas aos leitores.Ontem anunciei o meu último post, por razões óbvias... Não sabia, porém, que o governo tinha mandado publicar este decreto em Diário da República:


"O FIM DO MUNDO foi proibido pelo Governo, porque o país não tem capacidade financeira para receber um evento dessa dimensão. Os portugueses continuarão a viver no Inferno até sabe lá Deus quando. Os funcionários públicos serão condenados a trabalhar nas galés até conseguirem o direito à reforma, que lhe começará a ser paga no terceiro dia após a sua morte, no caso de conseguirem ressuscitar. Nesse caso, porém, este decreto estipula que o direito à reforma caduca ao fim de sete dias, data a partir da qual o funcionário público deve regressar às galés.

Os membros do governo, deputados, pessoal recrutado para os gabinetes, funcionários das autarquias escolhidas pelo governo e outras situações especiais decididas semanalmente em conselho de ministros, não são abrangidos por este Decreto, que entra imediatamente em vigor".

Ass: Pedro Passos Coelho aka ( preencha o espaço em branco)

10 comentários:

  1. Carlos
    Não termine o post pois vou sentir muito
    E Portugal vai sar se Deus quiser
    com carinho e amizade de Monica

    ResponderEliminar
  2. Caro amigo:
    Não sei se deva rir ou chorar :(
    Vamos mas é comemorar o seu aniversário e depois pensamos nisto ;)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Muito, muito bom!
    A-D-O-R-Ooooooo
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. E eu que quando li o título do post pensei que estávamos saltos :)

    ResponderEliminar
  5. ahhahahahaha..essa está boa!!! E li isso HOJE!!precisamente quando um Americano diz que vai ser HOJE o fim do mundo!!!!!!!!!!!!

    Tchau!!!!

    ResponderEliminar
  6. Num sonho, sonhei que Passos Coelho estava no inferno. Como é vulgar os políticos quando morrem não tem outro sítio para ir. Ali encontrou vários primeiros-ministros e presidentes da república. Um dia Passos Coelho e Saddam Hussein precisavam de fazer uma chamada telefónica para os seus países para saberem notícias. Passo Coelho fez a sua e foi pagar ao diabo o custo da chamada. O mesmo aconteceu com Saddam Hussein e quando os dois se encontraram, Saddam perguntou a Passos Coelho quanto pagou, tendo este dito um euro. Saddam disse que pagou muito mais e foi reclamar com o diabo o motivo da sua chamada ser mais cara que a de Passos Coelho. Recebeu a seguinte resposta: - a de Passos Coelho foi local.

    ResponderEliminar
  7. Que pena não festejarmos o seu aniversário no Inferno de Dante, onde se encontram não só os
    políticos, mas sim, todas as pessoas interessantes

    E com o frio que aqui faz (temperaturas entre 4 e 9 graus)o inferno deve até ser um lugar agradável.

    ResponderEliminar
  8. Vamos à festa...paremos de pensar por um dia nas coisas menos boas!
    Isto é um decreto, "decretado" por mim, Maria Teresa de meu nome!

    ResponderEliminar
  9. Para preencher o espaço em branco... faltam-me epítetos que se possam escrever aqui, que não choquem outros leitores! ;)

    ResponderEliminar
  10. Carlos, o mundo não vai terminar...
    mas Portugal está terminando a cada decreto, a cada orçamento, a
    cada euro mal gasto pelos boys...
    E há quam diga que os buracos ainda
    não foram todos abertos!...
    abraço

    ResponderEliminar