terça-feira, 11 de outubro de 2011

CR sub 30: a vida depois do microchip

Como é que os nossos avós puderam viver sem um chip? Perguntarão os jovens sub-30 nascidos depois dessa invenção que, em 1971, revolucionou completamente o mundo, a forma de comunicar e de viver.


Alinhados numa pequena placa de plástico, estas pequenas peças de sílica conseguem armazenar, processar e organizar dados, conectando-se entre si. A partir de então os computadores passaram a caber em cima de uma mesa ou dentro de uma consola e assim surge o primeiro jogo electrónico. Em 1972, o "Pong" - simula uma partida de ténis entre dois jogadores- anuncia que a época dos velhos flippers estava achegar ao fim. A partir dessa data foi também possível instalar o jogo em casa e ligá-lo ao ecrã de televisão.


Não consta que as audiências televisivas tenham sentido muito os efeitos da chegada do "Pong", mas a era dos jogos electrónicos tinha começado. O microchip revolucionou também, por completo, a vida do ser humano.


As aparelhagens electrónicas diminuiram em tamanho e em preço e o microchip hoje em dia está presente em todo o lado. Nos electrodomésticos, (da simples torradeira ao sofisticado micro ondas e passando pelas máquinas de lavar roupa ou loiça) na televisão, nos telecomandos, nas calculadoras, nas agendas electrónicas, nos relógios, nos jogos de vídeo, nos CD, nas câmaras de filmar, nos automóveis, enfim, em quase tudo quanto mexe, o chip é rei e senhor, comanda o mundo e orienta as nossas vidas com efeitos especiais.


Abrimos as portas do carro sem ter que meter a chave na porta, não trazemos dinheiro na algibeira, porque nos basta um chip no cartão de crédito, distorcemos a realidade que a fotografia nos mostra recorrendo ao computador e nem precisamos de saber desenhar, se formos especialistas na arte de manejar um chip que interpreta as nossas ideias. E agora, nem sequer precisamos de usar o nosso nariz para ver se o fiambre que temos no frigorífico está estragado. Imune a constipações, um chip faz o trabalho por nós.
No entanto ( quem haveria de dizer...) havia vida antes do microchip. Mas isso fica para outro dia...




12 comentários:

  1. Caro Carlos,
    E eu, nascido algum tempo depois do microchip, lá fui ouvindo sobre o x-spectrum, o 186, 286, o 386, pentium, o salto para os computadores portáteis, dos tijolos aos mini-telemóveis, da Master-Sega, Nintendo, o Super Mário, sei lá... fico abismado cada vez que penso na evolução técnica e tecnológica da última década e, se daqui a dez anos a evolução for duas vezes mais rápida que até agora, quais serão as facilidades que teremos? É inimaginável mas extremamente interessante!
    Obrigado pelo tema, mas a continuação promete, afinal a vida na Terra já existe há milhões de anos!
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  2. Carlos,

    Não será um pouco assustador?
    Principalmente a velocidade a que toda esta evolução/desenvolvimento se está a processar?
    Até onde irá a inteligência do Homem?
    Questões e mais questões.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Ó Carlos, agora é que eu percebi tudo: os nossos políticos têm o chip avariado. Precisam de ser urgentemente reciclados!

    ResponderEliminar
  4. O principal problemas deste boom tecnológico, é que mal um novo produto é posto à venda, já está a ser ultrapassado por outro ainda mais XPTO. E a sociedade de consumo agradece! ;)

    E sim, antes do chip também havia vida! :)

    ResponderEliminar
  5. Carlos
    Com o devido respeito costumo dizer se a minha avó viesse ao mundo dos vivos voltaria a morrer de susto.

    Agora percebo existe muita gentinha que deve de andar com essas coisa avariada.
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. FERREIRA MS
    E já anunciaram o fim do munod uma catrefada de vezes...
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Teresa:
    A velocidade a que tudo se processou nas duas últimas décadas não tem comparação com nenhuma outra época da História. Nem na Revolução Industrial...
    Algum (des) caminho isto terá, certamente, mas creio que o melhor é não pensar muito nisso ir desfrutando.
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Fernanda:
    Compraram chips de contrafacção, só pode...

    ResponderEliminar
  9. Teté:
    Foi essa espiral consumista que, em grande parte, nos conduziu ate aqui.
    Enquanto o endividamento das famílias ia dando para colmatar o que s esperava, tudo bem, mas agora que caímos na realidade, é o sufoco.
    Bem, mas penso escrever uns posts sobre o assunto a breve prazo ( isto é, quando tiver tempo...)

    ResponderEliminar
  10. Flor:
    As nossas avós teriam certamente um colapso, não tenho dúvida!

    ResponderEliminar
  11. Em minha casa, muito se jogou ao pong!! :)) E no spectrum depois... o meu irmão ainda tem saudades... :) Se havia vida antes? Havia... não era a nmesma coisa, mas era outra vida!

    ResponderEliminar
  12. E aqui vos deixo um vídeo em linha com este tema. É possível viajar no tempo - pelo menos em teoria. Hoje a tecnologia não o permite mas quem sabe, amanhã?
    http://bcove.me/wa9yckcj
    Um abraço

    ResponderEliminar