sábado, 27 de agosto de 2011

Prova de vida da vodka laranja


Não pensava voltar a escrever sobre um assunto que me provoca crises de fígado, deixando-me com a sensação de que comi ovos podres, mas há apelos a que não consigo resistir, como é o caso de ver confirmada, pelos próprios, a existência de um fraquinho de militantes comunistas pelo PSD e o ódio intrínseco ao PS. Coisas que Freud explicará, mas que me sinto incapaz de compreender...

No 5 dias já não escondem o apreço pela vodka-laranja, como se pode ler neste naco de prosa:

No entanto, vale a pena recordar aqui dois excertos de uma comentadora do blog, votante do Partido Comunista, a propósito daquele naco nojento de prosa:
"É com grande desgosto que verifico que as preocupações de militantes do Partido em que sempre votei se dedicam com empenho a questões que não percebo e para vos ser franca não me podem interessar (...)
E mais adiante, acrescenta:
"Considero ofensivo argumentar que trabalhar directamente com e para o governo de Passos Coelho é tão decente como trabalhar na Zara (faz parte do meu currículo). Isto é brincar com quem está aflito com a vida."
Maria Guiomar

Felizmente - para mim não é novidade, porque tenho vários amigos comunistas e tive uma por companheira de vida durante alguns anos- ainda há, dentro do PCP, quem rejeite estas posições abstrusas dos seus camaradas do 5 dias e não se ofenda quando alguém critica os comportamentos de militantes o PCP, que se julgam detentores da verdade e incapazes de discutir, em termos civilizados,as suas verdades absolutas.
A quem os contraria, reagem com o insulto, ou batendo com a porta amuados, como meninos mimados a quem tiraram a chupeta Não há pachorra!


10 comentários:

  1. Carlos
    Hoje durante a tarde tentei escrever qualquer coisa sobre a questão das ideologias. Saiu um rascunho mal amanhado que não me atrevi a publicar.
    Fiz uma incursão pelos posts que citou.Mas Não percebi bem, este seu post esclareceu-me.
    Ex-Comunista, mas não anti- comunista tenho grandes dificuldades em perceber a grande facilidade com que o PCP, faz por ex. nas autarquias, alianças (para mim contranatura com o PSD e não com o PS) será o fenómeno de "ódio de irmão"?

    ResponderEliminar
  2. Sem pretender envolver-me nas suas crises de fígado deixe-me no entanto fazer o seguinte reparo, quem é mantém permanentes alianças com o PSD e por vezes também com o CDS? O termo "bloco-central" diz-lhe alguma coisa Carlos? De que cor é o partido que até hoje mais malfeitorias fez em Portugal?

    Que o PSD deseje fazer pior não tenho a miníma dúvida, mas para já o primeiro lugar ainda ninguém o arrebatou às hostes do Largo do Rato, daí que me pareça francamente exagerado o tom do seu post. Vai ver que com umas águas das Pedras isso passa. Garanto-lho eu que tenho bebido muita garrafa. Já agora, já encontrou o Seguro? Estará ele a beber um copo com o amigo dos tempos da jota?
    Note-se que faço questão de não o meter no mesmo saco, se fossemos confundir blogues com direcções partidárias muito mal andaríamos.

    ResponderEliminar
  3. Acho que está na hora de sair daqui para fora. Sempre saí de um lugar onde se discute a coisa da substancia e não a substancia da coisa...

    (a falta de acentos apenas tem a ver com a pressa da saída...)

    ResponderEliminar
  4. A Zara aqui andou nas páginas dos jornais.E nas policiais :
    Por Bianca Pyl* e Maurício Hashizume
    São Paulo (SP) - Nem uma, nem duas. Por três vezes, equipes de fiscalização trabalhista flagraram trabalhadores estrangeiros submetidos a condições análogas à escravidão produzindo peças de roupa da badalada marca internacional Zara, do grupo espanhol Inditex.
    Na mais recente operação que vasculhou subcontratadas de uma das principais “fornecedoras” da rede, 15 pessoas, incluindo uma adolescente de apenas 14 anos, foram libertadas de escravidão contemporânea de duas oficinas - uma localizada no Centro da capital paulista e outra na Zona Norte.

    ResponderEliminar
  5. Folha seca:
    Também é para mim, um pouco inexplicável, este ódio ao PS que não vejo na mesma dimensão em relação ao PSD.
    Sendo de esquerda, sem filiação partidária e tendo já votado várias vezes no PCP a quem reconheço grande mérito no trabalho autárquico, não consigo compreender que um comunista trabalhe tranquilamente para o PSD, ou argumente que é melhor do que trabalhar para o PS ou ... o mesmo que trabalhar para a ZARA.
    No entanto, talvez isso explique a razão de o PCP ( com muita pena minha) não alargar a sua base social de apoio.

    ResponderEliminar
  6. Salvoconduto:
    Há mais de três anos que nos conhecemos ( desde os bons tempos do blogobarirro, lembra-se?)e sabe, por isso, que este meu post não tem nada de anti-comunista, porque nunca o fui.Bem pelo contrário...
    Sabe, também,que por aqui me fartei de criticar a insensibilidade de Sócrates com os mais desfavorecidos e que teci duras críticas à sua gvernança.O mesmo fiz, aliás, em relação ao Bloco Central.
    Acontece, porém, que sempre encontrei diferenças entre os dois partidos.
    Permita-me, por isso, que lembre os governos de Cavaco e a forma como ele destruiu as pescas, a agricultura, os transportes ferroviários, etc.
    Ainda hoje, aliás, é bem visível como, enquanto presidente, continua a fazer mal ao país ( recomendo a entrevista de Carlos do Carmo ao DN).
    Nunca fui socratino, mas não o comparo a Cavaco... Reconheço, inclusivé, que durante os dois primeiros anos de governo, Sócrates tomou boas medidas. Depois foi apanhado pela crise e vítima de uma campanha de assassinato de carácter, que nunca vira depois do 25 de Abril.
    Nunca engoli, confesso, a aliança da esquerda com a direita para derrubar Sócrates. E aí, sim, pus-me ao lado dele. Foi um dos maiores erros da esquerda, cujo resultado está à vista. As conquistas de Abril que ainda restavam, serão dizimadas por Coelho num ápice, com a desculpa da troika.
    Sei que pode não concordar, mas aceita a minha opinião. Não poderei nunca aceitar, como justificação para ir trabalhar com Relvas, as apresentadas pelos blogers do 5
    dias, mas não as quero qualificar, porque acho que a Guiomar diz tudo no seu comentário.
    Quanto a Seguro...não estou interessado em encontrá-lo. Sei que é o abono de familia para Coelho.
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Rogério:
    Este blog sempre respeitou o princípio da adesão voluntária. Da mesma forma que respeito as opiniões de quem me visita, também o utilizo para exprimir as minhas e não abdico disso Como, aliás, já anunciei várias vezes. Nunca enganei ninguém...

    ResponderEliminar
  8. Turmalina:
    Ainda não tive tempo de escrever um post sobre a Zara, mas é um assunto que tenho seguido com atenção. Em breve, espero voltar ao assunto

    ResponderEliminar
  9. Carlos
    Não sou muito de voltar à carga, mas há assuntos que creio merecê-lo.
    Há uma doença que já tem décadas que afectou uma imensidão de gente e penso não ter sido encontrada ainda a terapia adequada.
    Um cartão na algibeira (de preferência com a ultima cota acoplada) serve para justificar tudo. Os princípios ideológicos, pelo menos são coisa sem importância.É preciso é malhar, nem que seja para justificar a venda da "alma ao Diabo". Estranho é que quem a gente vê aprofundar tudo e tão bem, reaja tão mal.Será que tudo o que tem a ver com o PCP (ou de quem dele se aproveita) é inquestinável? Se asssim for, Paciência...
    Maas eu sou daqueles que não abdico de me referir a qualquer dos partidos políticos existentes em Portugal. Pelo menos àqueles que recebem subvenção financeira que tambem sai da minha algibeira.

    ResponderEliminar
  10. Folha seca:
    Eu também não, embora saiba que essa postura tem um preço.Por vezes as pessoas confundem ideologia com Evangelhos, o que é uma pena.A intolerância à crítica desgosta-me mas, como diria o outro..é a vida!

    ResponderEliminar