terça-feira, 2 de agosto de 2011

Da transparência ( parte II)

Não sou pessoa para me preocupar com os vencimentos dos outros e deixei-o claro neste post.

No entanto, quando o governo é tão transparente a divulgar os vencimentos dos seus assessores, especialistas e secretárias e não utiliza o mesmo critério em relação aos boys que nomeou para a Caixa Geral de Depósitos, fico com a sensação de que está a esconder alguma coisa. A bem da transparência, da equidade, e da ética social, seria bom que o governo esclarecesse os critérios que o levam a divulgar os vencimentos da arraia miúda e não proceder da mesma forma com os tubarões.

2 comentários:

  1. Esses vencimentos ainda não estão fixados, Carlos.
    É essa a justificação.

    ResponderEliminar
  2. Tem medo que os tubarões lhes mordam... só pode!

    São estas e outras do género que às vezes me fazem ter vergonha de ser portuguesa...!

    ResponderEliminar