quinta-feira, 21 de julho de 2011

Figura da semana

Nelson Mandela





No dia 11 de Fevereiro de 1991 virava-se uma página da História: era o anúncio do fim do apartheid e o início da construção de uma sociedade multi-racial.Vinte anos depois, a África do Sul não será ainda um país exemplar. Taxa de desemprego elevada, grandes bolsas de pobreza, problemas económicos e sociais e o flagelo da SIDA. De qualquer modo, a África do Sul está a emergir no seio dos países em desenvolvimento como uma referência, juntandos-se aos BRIC, foi em 2010 palco do primeiro mundial de futebol em África e, acima de tudo, a sua população vive hoje em liberdade. Nelson Mandela, que na segunda-feira completou 93 anos, foi o grande obreiro desta reviravolta.

7 comentários:

  1. Carlos
    Uma das figuras dos Seculos 20/21. Felizmente ainda vivo.
    Num tempo em que as "velhas" Democracias da Europa discutem a pataco a solidariedade duma Europa em risco de desmembramento, relembrar esta e outras figuras que tanto deram de si para que ouvesse mais igualdade e justiça social não se trata só de comemorar um aniversário mas lembrar aqueles que nos mundo inteiro lutaram e lutam por esses valores.

    ResponderEliminar
  2. Um dos Grandes Homens do Séc. XX !!!
    .

    ResponderEliminar
  3. Regressado de férias venho dar-lhe um abraço.
    Logo hoje, que evoca a figura desse gigante que é Nelson Mandela.
    Em 1994, aquando da assinatura do Protocolo de Lusaka, entre a UNITA e o Governo de Angola,tive a oportunidade de o conhecer, na capital da Zâmbia, e a honra de lhe ter apertado a mão. Confidenciou-me, e a outros jornalistas, ter, então, convidado Jonas Savimbi a deslocar-se à África do Sul para, em conjunto, falarem sobre a situação em Angola.
    Savimbi, que sempre preferiu o músculo à discussão política na busca do entendimento para a paz,
    ao contrário de Mandela, não foi.
    Lembro-me, como se fosse hoje, que na cerimónia ocorrida nos jardins do palácio do presidente da Zâmbia, a figura sobre que todos se concentravam não era nem Robert Mugabe (também presente), nem Eduardo dos Santos ou Jonas Savimbi, mas sim Nelson Mandela.
    Impressionou-me a clareza, abertura sem preconceitos ou ressentimentos, e mesmo carinho, com que falava aos jornalistas que se lhe dirigiam. Todos nos rendemos ao Homem Invulgar.
    Olhando hoje para os líderes europeus, quantas vezes me dou a pensar: Que falta nos faz um Nelson Mandela!
    Abraço, Carlos

    ResponderEliminar
  4. Um grande homem, sem dúvida alguma! :)

    ResponderEliminar
  5. Tenho grande admiração por esse homem.

    ResponderEliminar
  6. Tenho uma admiração enorme pelo N Mandela... um homem ímpar!

    ResponderEliminar