sexta-feira, 15 de abril de 2011

Zangam-se as comadres...

Há dias, alguém se espantava na caixa de comentários, por eu escrever que tinha sido Pedro Passos Coelho a desencadear a crise e que o fizera de uma forma que apelidei de canalha. A prova aqui está.

Quero dizer que não aprovo a forma como Pacheco Pereira denunciou o SMS e concordo com o que a Fernanda aqui escreve. Como também reprovo as críticas despeitadas de Carrilho na praça pública, ou o silêncio de Seguro quando Relvas lhe disse olho nos olhos que seria maís fácil dialogar com ele, ou Francisco Assis, do que com Sócrates.

Nunca votei em Sócrates, nem sou militante do PS, mas detesto comportamentos cobardes, de gente que procura ganhar apoios na opinião pública para atingir os seus objectivos, em vez de o fazer, cara a cara, com os seus camaradas.

E odeio "dandys" da Porcalhota, com aquele ar engomadinho de quem é um cavalheiro, que mentem ao país inteiro e acusam o adversário de mentiroso, só porque viram o seu lugar em perigo. Afinal são tão cobardes como os outros, mas dão ares de gente de bem.

Entretanto, os jornalistas disfarçados de bloggers que pastoreiam à mesa de Passos Coelho, vão fazendo o seu trabalhinho de formiguitas diligentes, em defesa do anfitrião. Mas esses nem me me merecem um link, porque a perversidade de quem se quer fazer passar por independente, sem assumir com coragem a defesa da sua dama, merece o meu maior desprezo.

3 comentários:

  1. Leio nesses tais blogs que nem merecem referência, que até esta questão tem a mão do Sócrates.
    É no mínimo inacreditável.
    Ainda há-de aparecer alguém que jurará a pés juntos que o viu escrever a mensagem e carregar no "enviar".
    Não chegará já, fazerem de Sócrates o capitão américa cá do sitio? Será que tem os poderes todos juntos do quarteto fantástico. Há de certeza por aí algum joker com um sentido de humor/masoquismo acima da média, mas atribuir tantos poderes a uma só pessoa, quer parecer-me que mais não estão que a passar um enorme atestado de burrice e de ignorância a todos os outros políticos. No fundo, a todos nós.
    A não ser que menosprezando-se, estejam efectivamente a esconder os verdadeiros motivos que os levam a ser tão trouxas.
    O poder a todo o custo.
    E o custo, para já, foi um governo democraticamente eleito, deitado abaixo.
    Por isso, alguém tem de explicar MUITO BEM, o que foi todo este "embroglio".
    O país não pode aturar caprichos de gente sem escrúpulos.

    ResponderEliminar
  2. Há deslealdade em ambos os lados do campo, mas no PSD, é demais... e os timings para estas declarações são incríveis. Os auto-golos sucedem-se...

    ResponderEliminar
  3. Carlosamigo

    Eu nem queria dizer nada, mas não me contenho: palmas para o teu texto. Muitas. Muitíssimas. Muitérrimas!!!

    Abç

    ResponderEliminar