terça-feira, 26 de abril de 2011

Da Síria aos acordos de Schengen

Não tencionava vir à net durante estes dias. Mudei de ideias, porque pouco antes de regressar a Lisboa vejo as notícias da hora do almoço e fico a par dos últimos acontecimentos na Síria. Já terão morrido mais civis naquele país do que na Líbia mas, ao que parece, ninguém está preocupado com o assunto ( pelo menos a notícia não faz qualquer referência a reacções ocidentais e jornais é coisa que não leio desde quinta-feira).



Não acredito, porém, que a indiferença dure muito mais tempo, por isso interrogo-me: será que a Europa e os Estados Unidos vão abrir mais uma frente de guerra, para evitar que o líder sírio continue a matar os civis que se manifestam contra o regime?Até quando terá a Europa capacidade para intervir nestes conflitos?



Entretanto, fico também a saber que Berlusconni e Sarkozy querem suspender os acordos de Schengen. Mais uma machadada na construção europeia, ou a confirmação de que a intervenção na Líbia foi o abrir de uma caixa de Pandora de consequências imprevisíveis?



Regresso a Lisboa (só por quatro dias) com algumas dúvidas e muita apreensão. Este ano do Coelho que os chineses prometiam ser um ano tranquilo, está a transformar-se num barril de pólvora.






5 comentários:

  1. Carlos
    Partilho da sua preocupação. A minha acrescida por a minha capacidade não dar para entender muito daquilo que se passa. Sei que os vendedores de material bélico devem andar felizes da vida, com conflitos a rebentar por todo o lado. Há civis inocentes a morrer por esse mundo fora. Como pôr termo a isto? Haverá força suficiente.
    Este mundo está a ficar complicado, mesmo muito!

    ResponderEliminar
  2. O que me preocupa mesmo, é que se isto é um ano tranquilo, não sei como serão os próximos... espero que pelo menos, não sejam também anos do Coelho...

    ResponderEliminar
  3. A gente de bem está mesmo muito preocupada, Carlos. Estamos a viver momentos históricos e de ruptura! Mas gostaria tanto de ter uma bola de cristal que me desse ima ideia da evolução destes momentos...

    ResponderEliminar
  4. Amigo Carlos!
    Eu nunca me engano! Sempre que falava em politica, pois gosto de entrar em conversas onde se fale em politicas mundiais, dizia que: "não morreria sem ver a 3ª guerra mundial e acrescentava que; não passaria do ano 2012. Agora, ao ver o que se passa mesmo com o nosso país, tenho a certeza que estamos quase nessa guerra. O amigo tem toda a razão, pois também vi essa noticia e muito me espantou, não só havia matança na Libia como morriam muito mais na Siria! Não sei de que é que os países, com poderes económicos, estão à espera!
    Um abraço e vá até o meu blogue:

    http://transpondo-barreiras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Carlos,
    A Síria até foi eleita para a Comissão dos Direitos Humanos da ONU.
    Aquilo é uma gente santa!!

    ResponderEliminar