quinta-feira, 21 de abril de 2011

Conversas de comboio

No comboio de regresso a Lisboa, viajam em frente a mim dois homens na casa dos 30.Diria que eram executivos de uma empresa com boa cotação na bolsa, não se desse o caso de no meio da conversa, que entabulavam em voz audível, terem deixado claro serem ambos dirigentes de um serviço da administração pública. Traçam um quadro negro do serviço onde trabalham e extrapolam para uma generalização da incompetência e desleixo que grassa na função pública.A determinada altura, um deles solta uma frase indignada:

- Ainda por cima, aquele aumento de 3 por cento em 2009 foi uma barbaridade. Foi só para ganharem votos e agora quem se trama somos nós.

Apeteceu-me perguntar-lhes porque é que não protestaram contra o aumento nessa altura, ou se recusaram a recebê-lo, o que seria revelador de uma consciência cívica digna de aplauso. Contenho-me e continuo a ler as crónicas de Maria Filomena Mónica “ Nós os Portugueses”. O quadro à minha frente seria, certamente, um bom tema para desenvolver.

7 comentários:

  1. Sim!!, já agora, porque não protestaram contra o aumento???

    ResponderEliminar
  2. Esses não estão à rasca! Falam de barriga cheia...

    ResponderEliminar
  3. Adianta de muito protestarmos com o que acontece na função pública... é olhar para esta tolerância de ponto de hoje à tarde... mas há coisa mais disparatada do que esta falta de respeito por tudo e todos, do que isto?????? É caso dos Finlandeses turistas ou não, dizerem que o Governo Português lhes está a cuspir na cara (e na verdade, até está....)Há coisas que ninguém consegue compreender!!!!

    ResponderEliminar
  4. Acho muita piada falarem dos aumentos de 2.9%, quando ele foi apenas para alguns, até determinado patamr. Por outro lado os funcionários públicos estavam sem aumentos desde 20002, que começou no tempo da MFLeite, e que ainda por cima, com efeitos retroactivos, para as reformas, até 2000. O que é uma ilegalidade. Finalmente o défice estava controlado. Nunca nenhum Governo conseguiu uma redução assim. Nimguém podia prever os efeitos do que aconteceu nos EUA. (Agora aguardem por mais). E porque não dizê-lo?! Havia eleições. Mas não foram muitos a beneficiar com isso. Portanto, senhores jornalistas e freelancers, informem-se primeiro, antes de comentar, para não fazerem afirmações balofas. Eu, desde o tempo da MFL, que recebo cada vez menos!

    ResponderEliminar
  5. Ainda me esqueci de dizer, que além de não haver aumentos, também desde a MFL que continuam congeladas as promoções, que eram automáticas, ao fim de determinado periodo, desde o tempo do graveto
    silva. Acham que eles têm também sofrido pouco?

    ResponderEliminar
  6. Na vida, como na literatura...
    Boa Páscoa.

    ResponderEliminar
  7. Estes funcionalismo é mesmo do piorio, e depois admiram-se da má fama que têm, uma tristeza....

    ResponderEliminar