terça-feira, 29 de março de 2011

O call-center de Belém

A magistratura activa prometida por Cavaco faz-me lembrar um call center. A gente liga, fica pendurada uma data de tempo à espera que alguém responda do outro lado. Trinta segundos depois de atenderem pedem-nos para esperar um momento e assim se passam mais alguns minutos. Ao fim de meia hora, quando estamos quase a ser vencidos pelo cansaço, vem alguém que finalmente esclarece:

“Lamento mas não posso resolver o seu problema Há mais alguma coisa em que lhe possa ser útil?”

A diferença é que em relação aos operadores de call center, nós podemos insultá-los e a Cavaco somos obrigados a tratar com deferência.

6 comentários:

  1. Carlos
    Tenha um bom dia!
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  2. Tratá-lo com deferência?? Só a quem mereça...
    (e a comparação está excelente - é mesmo de "ir aos arames")

    ResponderEliminar
  3. Eu desligo ao fim de poucos minutos, sem deferência :D

    Bjos

    ResponderEliminar
  4. Deferência é como ele nos trata a nós, hehehe. Boa comparação.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. :)) Boa comparação. E o problema é que a chamada é de valor acrescentado...

    ResponderEliminar