segunda-feira, 28 de março de 2011

Figura da semana

Carlos Queiroz
Convidado para treinador da selecção nacional depois da deserção de Scolari, Carlos Queiroz revelou-se um treinador sem chama, incapaz de empolgar os portugueses. No campo revelou alguma incoerência e muita teimosia e fora dele, à medida que os resultados colocavam em dúvida o sucesso da selecção no Mundial, foi aumentando a arrogância no diálogo com a comunicação social. Ao que consta, também não terá sido hábil no balneário, onde terá acentuado clivagens em vez de cultivar a harmonia.

Quando Madail o convidou, terá pensado na possibilidade de reeditar, na selecção principal, os êxitos alcançados por Queiroz com a selecção de juniores, à frente da qual nos deu dois títulos mundiais. Depressa se percebeu que tal não seria possível e que o contrato assinado até 2012 teria de ser rompido, sem que daí adviessem grandes prejuízos para os cofres da Federação Portuguesa de Futebol.

De bestial, Queiroz passou a besta. Nada demais, pois essa é uma situação vulgar no mundo do desporto. Menos normal é que se tenha posto em dúvida a idoneidade moral do seleccionador nacional, acusado de tentar impedir a realização de um controlo anti-doping. Choveram acusações de todos os lados, inclusive de um membro do governo que tinha a obrigação de se remeter a silêncio. A imagem de Carlos Queiroz ficou manchada na opinião pública, tal a gravidade das acusações que lhe foram imputadas.Seis meses depois, o Tribunal Arbitral do Desporto ( instância internacional) veio dar razão ao ex-seleccionador nacional, afirmando que as acusações que lhe foram feitas pelo organismo de controlo anti-doping nacional eram infundadas e não se justificava a punição que lhe tinha sido aplicada (suspensão por seis meses).

Queiroz reagiu violentamente e logo surgiram vozes a pedir que se calasse. Como se um homem injustamente acusado não tivesse o direito de exigir que a sua imagem fosse reabilitada. Criticável é o silêncio de uns quantos que na comunicação social e na blogosfera crucificaram Carlos Queiroz e agora se remetem a um silêncio cobarde, como se nada se tivesse passado.Na altura defendi Queiroz e hoje volto a fazê-lo em nome da dignidade de um homem que não foi feliz à frente da selecção nacional, mas não merecia ter sido vilipendiado da forma ignóbil como foi.

A sua escolha para figura da semana é também um repto para que os cobardes da bloga e da comunicação social, que engrossaram o grosso das críticas a Queiroz, com acusações torpes e inqualificáveis, tenham a humildade de lhe pedir desculpa pelo mal que lhe fizeram.

9 comentários:

  1. Vai arranjar uns quantos inimigos. Não é politicamente correcto tomar esta posiçõão e, muito menos, distinguir entre gostos (ou desgostos) acerca do seu desempenho "técnico" e deste processo escusado, que só lembra a quem acha que pode fazer o que lhe dá na real gana...

    :))

    ResponderEliminar
  2. Queiroz desiludiu-me na Selaecção e no comportamento e também me desagradou a convocação de Pepe e respectica justificação.

    Mas sempre achei estranha e pouco credível a estória do dopping...e a partir de certa altura, achei que ele tinha todo o direito de procurar a justiça que aqui manifestamnete não lhe estava a ser feita.


    Aliás, logoa na altuta pensei que a dita cena só veio a público, dados os maus resultados da Selecção e a vontade daí decorrente de interromper o contrato entre as partes.

    Pepe com as recentes declarações acerca do assunto só confirmou a péssima opnião que tenho dele desde há anos.

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Subscrevo!
    Não estamos no jogo do "vale tudo"!

    ResponderEliminar
  4. Sempre achei uma campanha vergonhosa e indigna o que lhe fizeram. Queiroz sempre mereceu o meu respeito.

    ResponderEliminar
  5. Muito bem Carlos, assino por baixo, da primeira à ultima linha.

    ResponderEliminar
  6. Onde está a humildade na maioria dos "caluniadores"?

    ResponderEliminar
  7. Completamente de acordo, Carlos! Claro que no meio de tudo isso também a malta estava já a rezar-lhe pela pele, pelas fracas prestações em campo. E assim estavam todos mortinhos para o crucificar, mesmo que por isso pusessem a sua longa carreira em causa. Alguns estariam ainda a pensar poupar na indemnização...

    O futebol tem destas coisas, faz as pessoas perderam a noção de justiça e coerência, acabando numa insensatez sem nexo! :P

    ResponderEliminar
  8. Podemos gostar dele, ou mesmo não gostar. Podemos ser da opinião que fez um bom trabalho, ou talvez não. Mas considero que o que lhe fizeram foi indecente, pois não tiveram "toma.." para se chagarem à frente e pagarem a indemnização que deviam.

    Tiveram que fazer um arranjinho para o poderem demitir por justa causa, levantando o caso do controlo anti-dopping, e vindo o responsável pela autoridade anti-dopagem afirmar que o seleccionador tinha perturbado o respectivo controlo.

    Agora que o TAS deu razão a Carlos Queiroz, vem o mesmo responsável dizer que afinal havia condições para o referido controlo.

    e agora Sr. Madail?? e agora Sr. Laurentinho?? estamos caladinhos comos uns ratos???

    ResponderEliminar