segunda-feira, 7 de março de 2011

Figura da semana


"O pai da democracia soviética"- como gostam de lhe chamar no Ocidente - irá ficar na História da Rússia? O último presidente da URSS que, antes de dar nome a uma "pizza", encetou uma série de reformas e deu a conhecer aos europeus as palavars "perestroika" e "glasnost" apenas é recordado com simpatia por 5 por cento dos russos, enquanto 73 por cento não encontram momentos positivos na sua governação.
Depois de ler isto, fico com uma dúvida: serão os russos ingratos, ou desmemoriados, como os 40 por cento de tugas que dizem que se vivia melhor em Portugal há 40 anos?
Entretanto, no dia em que completou 80 anos (3 de Março), Gorbatchov recebeu rasgados elogios de Vladimir Putin e foi condecorado por Medvedev com a mais alta distinção atribuída na Rússia- a "Ordem do Apóstolo Santo André".

4 comentários:

  1. Por mim, um dos Maiores do Séc. XX que fez e deixou história não só para a Rússia como para o mundo !
    .

    ResponderEliminar
  2. Ninguém é profeta na sua aldeia...daqui por um século os russos vão reconhecê-lo.

    ResponderEliminar
  3. Ariel é optimista. Não há garantia
    que este mundo sobreviva mais 100 anos...

    ResponderEliminar
  4. A Perestroika e a Glasnost (reconstrução e transparência) foram políticas implementadas por esse visionário que, em última instância, levaram à queda do muro de Berlim e à unificação da Alemanha, e que acabaram também por provocar a queda de alguns dos regimes mais sanguinários de que há memória na Europa pós 2ª Guerra Mundial. A Europa de hoje é, em grande medida, fruto da visão de Gorbatchev. Nem mesmo o tempo ou o desinteresse dos seus compatriotas fará esquecer os seus feitos, é que Gorbatchev foi um verdadeiro cidadão do mundo, um grande Homem.

    ResponderEliminar