quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Não, não foi no Irão... foi no Bangladesh

Provavelmente foi distracção minha, mas não vi ninguém insurgir-se contra o governo democrático do Bangladesh por causa da morte desta criança de 14 anos.

8 comentários:

  1. Carlos
    Incrível. Como é possível?
    Daquelas coisas que sentimos como um murro no estômago e sentimos que podemos, divulgando e denunciando estas atrocidades não estamos só a pregar no deserto.

    ResponderEliminar
  2. Carlos este tipo de atitudes provêm dos "vermes", capazes de inventar e modificar a realidade a seu belo prazer e até de matar uma inocente. A garota sofre 2 vezes:
    1- É violada e 2- É morta. Isto revolta. Mas isto acontece por todo o mundo, não se mata mas vai-se matando. Quem vive em descanso quando vê proliferar a injustiça?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. E quantas Mosammet estarão neste preciso momento a ser violadas ou espancadas, por esse mundo a fora?

    ResponderEliminar
  4. A forma como os países islâmicos tratam as mulheres (desde que nascem até que morrem) é daquelas coisas que me causa engulhos! Há palavras para comentar uma anormalidade total destas?! Se houver, não as tenho...

    ResponderEliminar
  5. Que eu tenha dado conta, só o José Simões, no Der Terrorist sempre atento a estas coisas http://derterrorist.blogs.sapo.pt/1423110.html

    ResponderEliminar
  6. Que brutalidade. Que mundo é este. Sinto-me evergonhado...

    ResponderEliminar