quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Desaparecidos


A ex- companheira de Pinto da Costa, que saltou das páginas das revistas cor de rosa para a imprensa diária, depois de uma noite no Jamaica onde teve como guias uns anfitriões benfiquistas foi, durante meses, a figura pública mais requisitada por uma certa imprensa que tinha como único objectivo incriminar o presidente do F.C. do Porto e desvalorizar as vitórias alcançadas pelos azuis e brancos.
Durante aquele período foi classificada por Maria José Morgado como uma testemunha fiável no processo “Apito Dourado”, com direito a segurança privada paga pelos contribuintes. Cada vez que abria a boca, jornalistas ávidos estendiam-lhe o microfone que ela abocanhava com deleite. Tornou-se colunista do “Correio da Manhã”, escreveu um livro e apresentou-se em tribunal como escritora, esteve quase a ser protagonista de um filme de ficção realizado por João Botelho mas, quando os juízes começaram a perceber que aquela cabeça era habitada por muita fantasia, Carolina teve um acidente durante a madrugada e isolou-se no Alentejo, em casa de um amigo (…)
Quando o Apito deixou de apitar, a Vidente do Monte da Virgem saiu de cena. O realizador desinteressou-se, porque o argumento era demasiado fraco, a “ghost writer” que a ajudou a escrever o livro, abandonou a ideia de um segundo volume, porque o Barbas não estava disposto a embarcar na compra de mais uma telenovela rasca e Carolina passou lentamente ao anonimato.
Como convém nestas situações, as sucessivas condenações em Tribunal por perjúrio, falso testemunho, desvio de dinheiro e outras habilidades, foram reproduzidas pela imprensa em notas de rodapé e praticamente silenciadas na restante comunicação social. Perdeu-se uma figura do jet set com um futuro promissor. Que pena!
Talvez um dia destes a vejamos no “Portugal Tem Talento”.

10 comentários:

  1. Muito gostamos nós destas figurinhas ocas e escandalosas! Deliciamo-nos com as estórias. E importa muito pouco se são verdadeiras ou não, desde que sejam suculentas!

    ResponderEliminar
  2. Aqui no Brasil tem programas que incentivam a fama de 15 minutos.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  3. Ora, ora Carlos.........,e quem foi tirá-la ao anonimato de uma triste caverna escura e a promoveu ao estrelado, quem foi??? Pois é, depois espantam-se destas cabecinhas terem muita "fantasia"... de admirar era se não tivessem....Mas olhe que a rapariga aqui até tá bem jêtoza, o photoshop faz milagres...

    :)))

    ResponderEliminar
  4. Carlos,
    Estou a gostar muito destes episódios dos LOSTS portugueses, faço-lhe um pedido será que nos pode dizer o que é feito do VALE e AZEVEDO? :)
    obg

    ResponderEliminar
  5. Foram muito bem badaladosenquanto ela era estrela e o apito apitava o povo que até gostava. Este tipo de cusquisse e outros identicos vai-se distraindo com a informação social. E outras mais importantes iram decorrendo e bem mal.

    ResponderEliminar
  6. O ditado "diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és" aplica-se aqui lindamente... :)

    ResponderEliminar
  7. Por favor, Carlos, olhe o respeito. A senhora a que se refere é uma santa, o Papa beatificou-a!


    P.S. - Concordo com um comentário anterior. Boa escolha da fotografia, está até bem linda a dita. :)

    ResponderEliminar
  8. Esta fulana passou a vida a ser usada.
    Porque queria.
    Depois, quando deixou de ser útil, desapareceu.

    ResponderEliminar