terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Proposta para reduzir a abstenção

Talvez em 2011 os portugueses percebam, finalmente, que não vale a pena continuar a votar nos partidos do arco do poder que nos (des) governaram nos últimos 25 anos, conduzindo-nos a esta situação. Como não se vislumbra no horizonte o aparecimento de líderes políticos entusiasmantes e a maioria dos portugueses é avesso a votar à esquerda, porque não quer correr riscos de ter um governo que mate os velhos com uma injecção atrás da orelha e coma criancinhas ao pequeno almoço, nem se pretende sujeitar à humilhação de ver os bloquistas a taxarem as suas fortunas, ou reduzir-lhes os salários, espera-se o aumento da abstenção.
Para que tal não se venha a verificar, e os portugueses voltem a votar com entusiasmo, proponho uma alternativa.
Nas próximas eleições, aproveitando a nova Lei de Financiamento dos partidos e o facto de nos ser permitido saber quais as empresas e entidades financeiras generosas que oferecem dinheiro para campanhas eleitorais aos partidos que pretendem controlar, faria todo o sentido que, em vez das siglas PS, PSD e CDS , aparecessem nos boletins de voto os nomes das empresas financiadoras.
Assim, teríamos, por exemplo, os logotipos Galp, BCP, PT, EDP, BES, SONAE, etc, em vez daqueles estafados logotipos dos partidos que são publicidade enganosa. Passaríamos a votar directamente em quem nos governa, em vez de votar em intermediários, meros executantes da política imposta pelas empresas e instituições financeiras.E como algumas destas empresas também apoiam determinados clubes, teríamos o voto 2 em 1, ou seja, votaríamos na empresa que mais nos agradasse e no clube do coração. No dia a seguir às eleições, as primeiras páginas de jornais seriam muito mais animadas. Ora vejam só este exemplo:

Galp vence eleições legislativas e povo sai à rua para festejar
Benfica/Galp ganha eleições, mas sem maioria absoluta. FC Porto/ SONAE recusa coligação. O comentador da SIC, Rui Santos/ Dicionários Porto Editora, analisa os resultados e realça o fraco resultado obtido pelo Sporting/ Herdade do Esporão, que considera o grande derrotado das eleições de ontem”.
Em chamadas de primeira página pode ainda ler-se:
"Os analistas políticos Mário Crespo/Circo Chen, Manuela Moura Guedes/ Freeport e Pacheco Pereira/Vomidrine analisam os resultados eleitorais (pg 7)
Presidente Cavaco/BPN manifesta confiança no futuro governo ( pg 8)

AVISO IMPORTANTE: No próximo sábado não perca os novos boletins de voto. Em primeira mão, aqui no CR.

11 comentários:

  1. Carlos
    A sua ideia não me desagrada, mas faltam mais umas empresas. As chamadas empresas do regime, que ainda são em numero considerável.
    Só há um problema. É que o tamanho do boletim de voto teria que ter dimensões apropridas e isso era complicado.

    ResponderEliminar
  2. Uma ideia genial!
    E está tudo dito. São todos pulgas do mesmo cão.

    ResponderEliminar
  3. Imagino a confusão que seriam estes grupos parlamentares, eheh...

    - Ó xôr deputado, não me venha defender aquela arbritage... uma vergonha! Vou já convocar uma comissão d'inquérito!

    ResponderEliminar
  4. Bem pensado!
    Temos aqui um grande pensador...

    ResponderEliminar
  5. Adorei este post lol lol ao menos tínhamos, finalmente, a desejada... transparência ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  6. Faltam comentadores um deles Màrio Soares/Normacol, colunista de ultima página, tem caricatura normalizada na minha exposição...

    ResponderEliminar
  7. Está tudo dito! Nem mais! Muito mais elucidativo e educativo ;-) Gostei! Fico à espera dos boletins :-))

    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. "Talvez em 2011 os portugueses percebam, finalmente, que não vale a pena continuar a votar nos partidos do arco do poder que nos (des) governaram nos últimos 25 anos".

    Carlos, temos aqui um problema: será que (ESSES), irão mesmo ter percebido?

    ResponderEliminar
  9. UAU, muito bem, até porque eu costumo abastecer sempre na Galp...

    :)))

    ResponderEliminar
  10. Será que algum dia, veremos INTEGRIDADE nos boletins de voto?

    ResponderEliminar
  11. Pois eu gostava mesmo que por uma vez o povo votasse à esquerda, para ver se a esquerda teria alguma solução para o país. Pior do já está, também não ficaria muito, e com uma nova política, até poderiam acontecer alguns milagres. Em pequeno aparte, devo dizer que suponho que nem a esquerda saberia o que fazer, mas essa é mera suposição!

    Quanto a essa hipotética votação nos verdadeiros interesses que se mexem por trás das fachadas dos partidos, tinha a sua piada... :)))

    ResponderEliminar