quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O lado B(om) da crise

Vejamos " a coisa" pela positiva. Só quem nada aprendeu com a crise, ainda não percebeu que a vida em 2011 ficou muito mais facilitada para toda a gente. Este ano não há necessidade de fazer planos, porque nos deitamos todos os dias com umas regras, mas não sabemos se ao acordar no dia seguinte, elas se mantêm em vigor. Digam lá se não é saborosa e rejuvenescedora esta incerteza do imprevisto... haverá coisa mais entusiasmante do que não saber como será o dia de amanhã? Há quantos anos não tinham esta sensação de aventura, que é adormecer sem ter de fazer planos para o dia seguinte?
Até os desempregados são abrangidos por esta avassaladora onda de aventureirismo. É certo que a maioria adormece com a certeza de não encontrar trabalho no dia seguinte... mas quem pode adivinhar qual o direito ou regalia que lhe será retirado ao amanhecer?
Em vez de transformar a vida num "muro das lamentações" os portugueses devem agradecer aos nossos governantes actuais e futuros, bem como aos seus congéneres franco-alemães, aos amigos do prof Cavaco no BPN e restante trupe de gananciosos e vigaristas que comandam a economia e ditam as regras das finanças mundiais, esta maravilhosa oportunidade de rejuvenescimento.

11 comentários:

  1. Na época dos Descobrimentos teria a sua piada partir à aventura...

    Assim, prontos (com S e tudo!), é o fado, mais os nossos "queridos" governantes a darem-nos música todos os dias... rsrsrsr

    ResponderEliminar
  2. Ora aqui está uma óptima perspectiva!
    Eu costumo dizer que se pior não pode ser é porque tem de ser melhor! :-))

    ResponderEliminar
  3. Eu cá não vou me esquecer de lhes agradecer no dia 23

    ResponderEliminar
  4. "Trupe de gananciosos e vigaristas". É que é isso mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Li algures que o segredo que leva a suportar imprevistos é a nossa grande capacidade de zombaria... Sabia?

    ResponderEliminar
  6. E é cá um rejuvenescimento...até tenho esperança de acordar no dia seguinte no ventre da minha mãe.

    ResponderEliminar
  7. Tal como escrevi hoje, algures ...
    "...estão todos a fazer contas à vida? Deixem-se disso! Não percam tempo porque, dum momento para o outro, tudo muda outra vez ..., para pior!" Parece-me que encontrei alguém que comunga da minha opinião.

    ResponderEliminar
  8. Os amigos do professor Cavaco do BPN? Num posso crer.

    :)

    ResponderEliminar
  9. De súbito, a minha idade abeteu-se sobre mim como um castelo de cartas no epicentro de um terramoto. E bem. Cantando, dançando e escrevendo até ao fim dos tempos.

    ^-^

    ResponderEliminar
  10. É tão bom andar ao sabor do vento e dos políticos ;-)Adorei a ironia!

    Beijinhos

    ResponderEliminar