quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A figura internacional do ano

Muhammad Yunus
Quando em 1983 fundou o Banco Grameen, para criar o microcrédito, poucos lhe deram importância. Hoje, todos reconhecem que com a sua iniciativa tirou milhares de pessoas da pobreza. Mais importante ainda, conseguiu difundir o conceito do microcrédito a nível mundial, o que conduziu ao aparecimento de organizações em todo o mundo que lhe copiaram o exemplo. Muitos bancos passaram também a incluir nos seus serviços esta modalidade de crédito, que apoia pequenos investimentos a juros baixos.
Prémio Nobel da Paz em 2006, agraciado por Obama com a Medalha da Liberdade em 2009, Muhamamad Yunus esteve no início de Dezembro em Portugal, para apresentar uma nova proposta de combate à pobreza: o negócio social.
Foi praticamente ignorado pela comunicação social portuguesa, talvez aturdida com a desfaçatez da utopia. Nada de espantar, porque a comunicação social portuguesa já se rendeu há muito ao capitalismo selvagem, cujos protagonistas são capa de primeira página quando dão um arroto na China ou na Austrália. Na comunicação social resta pouco espaço para quem acredita na utopia da solidariedade no mundo dos negócios.
E, na verdade, poderá parecer a muitos uma utopia, esta proposta de refundação do capitalismo, assente num novo conceito de lucro social. Muhammad Yunus deposita no negócio social ( de que vos falarei mais detalhadamente nos próximos dias) a mesma esperança que teve quando criou o “utópico” microcrédito. Ganhou a primeira aposta, esperemos que vença também este desafio. Porventura mais difícil de concretizar, mas não impossível.
Porque acredito que o primado das pessoas se há-de sobrepor, mais tarde ou mais cedo, à ganância, escolhi Muhammad Yunus como figura internacional do ano.
E vocês, quem escolheriam?

9 comentários:

  1. Apoio esta escolha.
    Mas em segundo lugar colocaria Assange.

    Um bom 2011 para si e para os seus.

    ResponderEliminar
  2. Carlos
    Inteiramente de acordo.
    Bom Ano para 2011
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Oi Carlos!!

    O cara é realmente fantástico! Totalmente apoiada a escolha!
    Ele há que vencer esse desafio.

    Ótimo post, meu caro

    Beijos

    Carla

    ResponderEliminar
  4. A sua escolha, Carlos, obedece aos mesmos critérios a que obedeceria a minha. Coincidiríamos, portanto, inevitavelmente, na figura.
    Votos de um bom 2011, que lhe permita realizar todos os seus planos (em maturação até ao próximo dia 31, já sei... ;-D ).
    Um beijo. :-)

    ResponderEliminar
  5. Havendo saúde, dinheiro e amor, a felicidade paira no ar!
    E é isso mesmo que lhe desejo para 2011, Carlos, bem como à sua família!

    Eu escolhia a ANGELA MERKEL!!!

    ResponderEliminar
  6. Concordo em absoluto com a tua eleição para a figura internacional do ano. Poderia também ser a minha escolha mas nomeio Luís Inácio Lula da Silva por tudo o que fez em prole do seu povo.

    ResponderEliminar
  7. Meu amigo, de acordo também com a sua escolha!
    Que nunca lhe falte um sonho pelo que lutar, um projecto para realizar, algo que aprender, um lugar onde ir, e alguém a quem amar.
    Feliz Ano Novo!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Concordo com a escolha, Carlos, que saber que existe pelo menos um homem assim, dá-nos esperança num futuro mais sorridente do que os urubus do costume anunciam!

    Mas não tinha pensado em "eleger" nenhuma figura internacional (nem nacional do ano, dada a fraca qualidade das personagens que aparecem nas capas de jornais e revistas.

    Mas talvez evidenciasse também o Dalai Lama! :)

    ResponderEliminar