quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Pulmões de aluguer?


Assinalou-se hoje o Dia Mundial do Não Fumador. Comecei a fumar cedo, fumei muito, mas desde há cinco anos meti travões a fundo e, salvo raríssimos dias de excepção, sou um moderado fumador de cigarrilhas ( duas a três por dia).
Já aqui escrevi porque sou contra a Lei anti-tabágica que vigora em Portugal. Se pudesse voltar atrás não seria fumador, mas cresci numa sociedade onde me incutiram a fumar ( porque era chic) e é essa a única razão que me leva a compreender as campanhas anti-tabágicas: alertar o jovens para os efeitos nefastos do tabaco. Estudos recentes, como o do CRIOC, revelam que as campanhas anti-tabágicas padecem de eficáciaDiminuiu o consumo de cigarros, mas não o consumo de tabaco. Os medicamentos anti tabágicos vendem-se como pãezinhos quentes, mas os seus efeitos práticos estão por demonstrar.Hoje, andaram pelas ruas brigadas convidando os fumadores a apagarem os seus cigarros. O lema da campanha era: “ Não Fume Pelo Seu Pulmão”. Não percebo como é que isto se coaduna com a ideia de o governo reduzir as comparticipações para tratamentos anti-tabágicos, mas adiante...
Quando um brigadista se aproximou de mim, convidando-me a prescindir da minha cigarrilha a seguir ao almoço, a minha vontade foi perguntar-lhe se não me emprestava um dos seus pulmões para eu fumar por ele. Acabei por apagar a cigarrilha mas, minutos depois, fui fumar para um local mais recatado. Creio que muitos fumadores terão seguido o meu exemplo. Para benefício da “Tabaqueira” e do Estado, que arrecadou mais uns euros em impostos.

13 comentários:

  1. O Estado levou mais de um milhão, cada pacote de cigarros de 3,5€, 2,75 é de Imposto.

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Senti por alguns anos o seu trago viciante. Deu-me bons e relaxantes momentos mas para meu bem dei-me conta do quanto me estava a traiçoar a saúde. Esmaguei-o num cinzeiro pela última vez faz muito tempo. Foi um prazer

    ResponderEliminar
  3. Carlos, fiquei tão nervoso com este seu escrito
    que tive de ir fumar mais um cigarrito...

    (o meu pulmão está tão preto...)

    ResponderEliminar
  4. Ah!!! os meus pulmões são bem rosadinhos! Sou uma menina mt bem comportada, só gosto mesmo de dar umas facadinhas nos blogs... E acho mt bem q a tabaqueira cobre o imposto q cobra no tabaco! Afinal quem paga, depois, os custos com os tratamentos com as doenças dos fumadores activos e passivos? Todos os contribuintes? Nem pensar! Recuso-me!!

    ResponderEliminar
  5. Meu caro CBO.
    Está visto que o pulmão da esquerda está muito mais bronzeado que o da direita. Nota-se que passou umas belas férias de praia, com uma boa exposição solar. Se calhar não usou o protector mais adequado. Espero que, se apanhar algum melanoma, não venha a pedir uma indemnização ao concessionário da praia.

    ResponderEliminar
  6. Há cerca de 6 anos, após quase 3 maços por dia, disse, não volto a comprar tabaco. E não voltei.
    Cortei de vez. Só em casamentos e baptizados, voltei a dar uns bafos e em charutos ou cigarrilhas.
    Nem sinto nunca a falta. Simplesmente, nem me lembro que tabaco existe.
    E uma das medidas que mais aplaudi, foi a proibição de se fumar em restaurantes.
    Sim, eu respeitava quem se sentava à minha volta, até toda a gente começar a fumar.
    Uma coisa pelo menos me satisfaz bastante.
    É que pelo menos, directamente, é menos algum que entrego ao estado.
    É como na "gOlpe" , só meto combústivel nas estrangeiras.

    ResponderEliminar
  7. Eu ontem não quiz dizer nada... e hoje já me passou a vontede....

    :))))

    ResponderEliminar
  8. Vá lá, só mais um esforço! Consegue-se...

    ResponderEliminar
  9. Gosto dos pulmões... o filho da vizinha que por aqui muito "passeia" viu a foto e perguntou o que é que era aquilo na foto. Ao esclarecer comecei com as palavras "são dois pulmões, um é..." e ele completou: "einer kommt aus Afrika und der andere Aus Europa"... lógica de um menino de 9 anos. ;) Eu também sou contra proibições do género, no entanto estou muito feliz por não necessitar mais do cigarrito. Cumps daqui do centro europeu.

    ResponderEliminar
  10. De acordo! Esta lei é absurda.
    Também deixei de fumar (3 maços?)há seis anos...radical.

    ResponderEliminar
  11. Não fumo desde os 20 e poucos anos e vivo bem assim.Só que sou contra as proibições radicais.O direito do fumante tem que ser respeitado e deve haver um espaço reservado para isto, justamente para respeitar o direito dos não fumantes.

    ResponderEliminar
  12. Eu também não queria dizer nada, mas não consigo deixar de dizer à pragmática C.B. que talvez fosse melhor informar-se antes de falar.
    Sabia que o melanoma não tem tratamento, porque não reaje nem à quimio nem à radioterapia? Se não for apanhado na 1ª. quanto muito início da 2ª. fase não tem salvação possível. Sabia que os marinheiros e pescadores são dos que sofrem relativamente menos de melanoma, assim como os habitantes da Florida em comparação com os de Nova Yorque?
    Eu para tirar um melanoma apenas tive de ir a uma boa Dermatologista, e pagar do meu bolso, porque não podia estar à espera. E sabe onde o tinha? na nádega, que nunca apanhou sol, apesar de eu não ser contra o nudismo. Se quiser saber mais, como tem a Net aproveito o tempo dos comentários para se informar.

    Quanto ao tabaco, depois de décadas de fumo, deixei-o de vez num dia 21/04, depois de almoço, numa altura em que estava com outro grande problema, mas pelo menos um eu resolvi. Já lá vão uns anitos. E foi antes do melanoma.
    E quanto às leis a nossa liberdade acaba quando restringe a dos outros. E não há nada que mais me irrite que é ver um condutor com o cigarro aceso e o braço de fora e jogar a beata acesa para a estrada, nos dias soalheiros e ressequidos de verão só porque não quer ficar com o fumo, nem o pivete da beata dentro do carro. Alguns porque até levam crianças lá dentro.

    ResponderEliminar
  13. E eu também não queria dizer mais nada, mas não consigo deixar de responder à preocupada ANFITRITE (e com isto não quero abusar da paciência do CR).

    No meu comentário não queria referir-me a qualquer problema que, lamento seriamente, a tenha afectado. Antes estabelecer, de forma irónica, um paralelo entre o abuso sol e do tabaco.

    Quanto à apreciação que faz do meu comentário, lamento uma ou duas coisas. Que o meu texto não tenha sido suficiente explícito, para que nele fosse imediatamente visível a figura de estilo, e que, apesar da sua vasta e notável preferência cinéfila e literária, não tenha percebido a ironia. Admito alguma inépcia da minha parte ou uma pequena distracção da sua.

    Já agora. Concordo com a sua opinião sobre o tabaco e o comportamento de alguns fumadores. Felizmente que há mais de trinta anos estou divorciado do vício.

    Com amizade.
    C.B.

    ResponderEliminar