sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Prémios Gazeta


Embora não me fique bem falar em causa própria ( como muitos saberão sou membro da Direcção do Clube de Jornalistas, entidade que atribui os prémios) não resisto a fazer uma referência aos prémios Gazeta -os mais prestigiados galardões atribuídos em Portugal, no âmbito do jornalismo.
Na última segunda feira, Miguel Carvalho ( jornalista da Visão) recebeu o Grande Prémio Gazeta 2009, pelo seu trabalho “ Os Segredos do Barro Branco”, que gira à volta de Joaquim Ferreira Torres, figura polémica da oposição violenta ao 25 de Abril, que viria a ser assassinado em 1979.João Paulo Guerra foi galardoado com o prémio Gazeta de Mérito, destinado a distinguir jornalistas que, ao longo da sua carreira, têm prestigiado o jornalismo.
Habitualmente é também atribuído o prémio Revelação, que destaca ao trabalho de jovens promessas do jornalismo em Portugal. Este ano, pela primeira vez ( pelo menos desde1998, data em que passei a integrar a direcção do CJ) este prémio não foi atribuído, porque o júri não encontrou trabalhos que merecessem essa distinção. Uma decisão que exige uma séria reflexão sobre o futuro do jornalismo em Portugal.

5 comentários:

  1. Fico muito feliz com o Prémio atribuído a Miguel Carvalho, cujo trabalho sigo desde sempre.

    Parabéns para ele e para Guerra, que também aprecio.

    Preocupante, muito preocupante, de facto a não atribuição deo outro galardão.

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  2. Agradeço o alerta ao mérito. Passarei a dar mais crédito ao Clube e quanto á sugestão de reflexão, prometo redobrar o meu esforçado empenho...

    ResponderEliminar
  3. Não há novos talentos no jornalismo? Porque será que não me espanta?!

    Parabéns aos outros vencedores! :)

    ResponderEliminar
  4. É estranho, Sr. Carlos (pelo menos eu acho). São cadas vez mais os jornais, as revistas, as Tv's as estações de rádio, com o consequente número de jornalistas a aumentar. Era suposto aparecerem novos talentos.

    ResponderEliminar
  5. Não auguro grande futuro ao jornalismo. Foi chão que já deu nozes, grandes nomes, hoje é qualquer coisa mais parecida com fast food.

    ResponderEliminar