quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Porque não te calas?

Dizia a jornalista com ar compenetrado, desde Bragança:

" Aqui os efeitos da greve estão a sentir-se de uma forma muito limitada. No hospital, por exemplo, no primeiro turno da noite, dos 27 enfermeiros que deveriam estar de serviço, 19 fizeram greve".

Não será razão para despedimento com justa causa, mas explica muito bem o jornalismo que se vai fazendo por aí.

13 comentários:

  1. Não sabe fazer contas, coitada ;-)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. A matemática é de facto um bicho-de-sete-cabeças...

    ResponderEliminar
  3. Se tivessem sido 26 dos 27, será que também iria dizer só 26?
    E poderia ter tentado antes uma abordagem positiva, "8 não fizeram greve!"

    ResponderEliminar
  4. E eu que julgava que este post era sobre o tio Paulo... :)))

    Mas pronto, essa também perdeu uma boa oportunidade para ficar calada!

    ResponderEliminar
  5. PÉSSIMISTA!!!

    Ando numa lufa-lufa porque no próximo domingo já é o 1º Domingo de Advento, por isso, não tenho vindo aqui.
    Era fantástico que o Carlos partipasse no Concurso de Histórias de Natal, que nem precisam de ser ternurentas ou religiosas.

    Beijinhos quase natalícios!!!

    ResponderEliminar
  6. E porque se fala sempre na saúde??

    Quando há empresas particulares que "deram" o dia aos funcionários e depois dizem que estiveram fechados por causa da greve.
    Só mesmo em Portugal.
    beijo

    ResponderEliminar
  7. Carlos
    Eu só punha umas aspas na "jornalista" do seu post.

    ResponderEliminar
  8. Eu acredito no direito do trabalhador reivindicar seus direitos, mas não acredito em greves, principalmente naquelas que paralisam serviços essenciais.São formas de pressão, sem dúvida alguma, mas eu não gosto! Seria a mesma coisa que patrão fazer greve de pagamento.
    Aqui, numa cidade vizinha, as creches municipais estão em greve.E pergunta se a Prefeitura está preocupada e vai decidir aceitar as reivindicações. Claro que não!
    E quem paga o alto preço da greve são as mães que não tem com quem deixar os filhos para trabalhar.
    Quando uma mãe reclamou da greve com uma das funcionárias da creche, obteve a seguinte resposta:
    - Não sei do que você está reclamando, você trabalha, tem salário, então pode pagar uma pessoa para olhar sua filha enquanto estamos em greve.
    Não seria um tanto óbvio que se a pessoa usa o serviço da creche municipal é porque ela não tem condições de pagar alguém para cuidar da filha.
    Tem dias em que a lógica parece coisa do outro mundo...

    ResponderEliminar
  9. A jornalista estava comprada, ó Carlos...

    ResponderEliminar
  10. Devem ser já os efeitos da frente fria nos neurónios, só pode!

    ResponderEliminar
  11. São os "sós", os "talvez", ... que estragam tudo!

    ResponderEliminar
  12. Fugi do foco, né?
    Sobre o post, é impressionante com uma pequena palavrinha muda o sentido de uma notícia inteira.Aqui temos muitos jornalistas assim, que se sentem verdadeiros comentaristas...e toda aquela conversa sobre imparcialidade vai por água abaixo.

    ResponderEliminar