terça-feira, 16 de novembro de 2010

Obrigado, José!

Parabéns, José! No dia em que celebrarias 88 anos, não nos esquecemos de te agradecer as belas páginas que nos deixaste e o que fizeste pelo nome de Portugal.

10 comentários:

  1. Carlos
    Apenas assino por baixo. O meu caro disse tudo.

    ResponderEliminar
  2. Foi grande demais para o país em que nasceu. Por isso o Mundo não esteve com cerimónias - abriu-se-lhe.
    Se ainda estivesse com ele, como da última vez que nos vimos, e lhe desse um abraço, ver-lhe-ia, por certo, uma lágrima.
    Abraço, Carlos

    ResponderEliminar
  3. Tal como sempre acontece aos verdadeiramente Grandes, este desgraçado país não soube merecê-lo em vida. Esperemos que pelo menos saiba perpetuar o seu legado e a sua memória.

    ResponderEliminar
  4. Um génio. Leio por ora As Pequenas Memórias. Recomendo. Pena tenho, de já ter partido o Homem que mais gosto de ler. Mereceu tudo o que ganhou. Apesar do Nobel, não foi reconhecido devidamente.

    ResponderEliminar
  5. Também me associei e esta homenagem a Saramago.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Pelo muitoque nos deste e continuarás a dar.
    Um abraço, José

    ResponderEliminar
  7. Uma honra para a língua portuguesa e mais ainda para Portugal ter concedido este gênio. Não canso de admirá-lo e ler tudo quanto escreveu. "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" não me cansa. Leio quantas e quantas vezes...

    Beijos

    Carla

    ResponderEliminar
  8. Sim, grande, grande, mas há muitos que, por fanatismo político-religioso, se regozijam de ele ter morrido. Sem, ou com pontuação, o que é facto é que ele provou ao mundo que é no conteúdo que está a força dum texto, ou dum livro, independentemente de estar, ou não, gramaticalmente correcto. Quando aquilo que se diz, é superior à forma como se escreve, quem poderá criticar as suas obras? Só os que, fanáticamente, não querem ver o que estava para além da sua (não) pontuação.

    ResponderEliminar