terça-feira, 9 de novembro de 2010

Eu sei que sou chato, mas...


É esta falta de rigor que me preocupa no jornalismo. O mínimo que se exige a um jornalista é que saiba interpretar textos, analisar estudos e deixar a subjectividade para as suas interpretações pessoais. Um jornalista não é prescritor de receitas. Isso é tarefa para comentadores.

3 comentários:

  1. De facto é isso, mas um pouco de subjectividade, com objectividade-- se possível--- não faz mal ao mundo...

    É que a objectividade resulta de um somatório de subjectividades...

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente. O papel do jornalista deve limitar-se apenas aos factos mantendo uma postura de neutralidade e tentando não omitir factos cruxiais nem acrescentar eventos imaginativos.

    ResponderEliminar