terça-feira, 30 de novembro de 2010

Banho de espuma


Nos idos de 70, pouco depois de terminado o PREC, tive um colega de trabalho que me acusava de ser burguês, porque tomava banho todos os dias. Dois banhos por mês para ele era suficiente e tinham de ser sempre duches muito rápidos. Ria-me bastante com aquela infantilidade revolucionária de um finalista de economia que jurava fidelidade à causa do proletariado e odiava na mesma proporção os revisionista e os burgueses como eu que se davam ao luxo de tomar banho todos os dias.
Passaram 33 anos. Não sei se o jovem revolucionário toma banho diariamente mas, se não o faz, deve ser o único resquício revolucionário que ainda alimenta. Hoje é quadro superior num banco, só veste roupa de marca ( embora de gosto duvidoso) do seu corpo exala um aroma de perfumes caros e conduz um Audi topo de gama.
Lembrei-me dele porque li no “i” uma reportagem sobre uma tendência que está a aumentar nos Estados Unidos: tomar banho é desnecessário, lavar o cabelo um disparate e usar desodorizante um desperdício. Segundo Jenefer Palmer, uma entusiasta deste novo modelo de higiene, para estar limpo basta passar uma toalha embebida em sabão debaixo dos braços, nas solas dos pés e entre as pernas!
Quando acabei de ler a reportagem dobrei as páginas, meti-as num envelope e enviei-as para o banco onde trabalha este meu ex-colega, com um cartãozinho onde escrevi:

Caro J
Mais de 30 anos depois devo reconhecer que tinhas razão. Tomar banho todos os dias é mesmo um luxo burguês, como podes ler nesta reportagem. Como me dizias na altura, um revolucionário tem sempre razão, é tudo uma questão de tempo. Quem havia de dizer , meu caro,que seriam os imperialistas americanos os primeiros a reconhecer ( a seguir aos belgas, irredutíveis badalhocos) o acerto dessa tua fervorosa teoria revolucionária?Olha, fico-me por aqui, porque tenho de ir tomar banho. Continuo um irredutível burguês.
Grande abraço

PS: Envio-te esta fotografia de um banho. Imagina o que perdeste ao longo da vida! Eu sei que estes banhos não são muito ecológicos, mas são tão revigorantes...


16 comentários:

  1. Carlos
    É por estas e outras (escorregadelas) que se partem umas costelas a saír das banheiras.

    ResponderEliminar
  2. Antes umas costelas partidas num banho (Uf! que quente ) do que umas costelas partidas numa escorregadela na porcaria. O tal amigo pensará que o audi topo de gama lava tudo...Queria dizer que ideologias topo de gama lavam os audis...também não é bem isto...é mais aproveitar a lavagem automatica do audi para tomar banho. Também não serve, irra, hoje não acerto uma.

    ResponderEliminar
  3. Com fotos assim, quem não toma banho todos os dias??? Ehehehe
    Adorei o post

    ResponderEliminar
  4. Vamos mesmo deixar de ser burgueses... à força. Na água pago menos de 1/3 da factura da água que gasto e o resto...2/3 são taxas... qualquer dia até molhar os paninhos sai caro lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Se a estória não é verdade, é uma excelente metáfora: Sujos por dentro, porque não sujos por fora?
    (e nesse aspecto - e se calhar em muitos outros - sou uma burguesa irredutível!)

    ResponderEliminar
  6. Cinco estrelas, Carlos, cinco estrelas *****!!!!
    [as minhas dificuldades nem português não me permitem um comentário mais expressivo.....]

    :)))

    ResponderEliminar
  7. Temos que concordar que banhos revigorantes como esse proposto são realmente um luxo ! :))
    rsrsrs
    ... e o amigo, se singrou assim na vida, lá teria as suas razões ! :)))
    .

    ResponderEliminar
  8. Carlos, adorei este elogio à burguesia ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Banho diário,
    só em água, gás e sabão
    sai pra cima de um dinheirão
    (Mas estamos a falar de outra coisa, né? Incoenrência
    associada às práticas da higiene, demonstração de um ideário que não perene...)

    ResponderEliminar
  10. Meu amigo, pela fotografia, não me admiro que os banhos sejam tão revigorantes ;-)
    O cartão que enviou ao seu amigo está o máximo!
    Bem, depois deste seu post, acho que também me vou revigorar, burguesias :-)))

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. LOL

    Lembrei-me logo dos belgas e dos espanhóis... que também são muito asseadinhos, tomam banho de perfume todos os dias, até enjoar os vizinhos!

    ResponderEliminar
  12. Olhe que não era só ele, poucos anos antes quando vim estudar para o Porto depois de concluido o liceu as pensões não permitiam mais do que dois banhos por semana, algumas só uma. Em todas tive que pagar um extra mensal para a água e para a electricidade. Tenho até uma história deliciosa com a dona de uma que, mesmo pagando, me entrou pela casa de banho dentro e me fechou a água. Talvez um dia a conte lá no meu canto.

    ResponderEliminar
  13. Ou seja, o que está a dar é ser porco e cheirar mal.
    A mesma atitude que tenho perante o nuclear - não, obrigado!
    E uns banhos (banhos, e não duches) semelhantes aos da imagem são uma maravilha!!

    ResponderEliminar
  14. Está vendo que tenho razão quando digo que me sinto muitas vezes na contramão.Eu não vivo sem um banho por dia, como também não dispenso, eventualmente, um bom banho de espuma.
    Para minha consciência ecológica não pesar muito uso mais ecobags, dispensando as sacolinhas plásticas, escovo os dentes enquanto enxaguo os cabelos e tenho minha própria hortinha sem agrotóxicos, ok?
    E duvido que seu amigo continue tomando banho como nos tempos idos...

    ResponderEliminar
  15. Ahahah, confundir o espírito revolucionário com falta de higiene é coisa que só passa pela cabeça de... porcalhões! :)))

    Parece que esse antigo amigo tem tendências a Rei Sol... :)

    ResponderEliminar