domingo, 24 de outubro de 2010

Que bela notícia!

A partir de hoje os hipermercados voltam a poder abrir ao domingo, durante todo o dia. Quem vai perder mais com a medida vão ser os supermercados de menor dimensão, que vão ver fugir alguma clientela. Os portugueses ficam a ganhar, porque têm mais um sítio para onde ir nas tardes de domingo. Algumas famílias vão passar a encarar o domingo com menos enfado. Já podem variar e alternar as visitas aos centros comerciais com idas aos hipermercados. Num período de retracção do consumo, não deixa de ser curiosa esta medida... Mas, mais interessante ainda, é que esta autorização esteja em contraciclo com o que se passa na Europa civilizada. O imprtante é fazer os consumidores felizes. Por isso, proponho que a próxima medida seja manter os hipermercados abertos 24 horas por dia, sete dias por semana. Isso, sim, geraria milhares de postos de trabalho.

13 comentários:

  1. Carlos,

    Sabe que aqui na minha cidade (Marília, interior do Estado de São Paulo), a abertura de supermercados e hipermercados aos domingos gerou discussões acaloradas. Por fim, conseguimos (nós, consumidores), que estes estabelecimentos funcionem no domingo todo, até às 10 da noite. Ora, são estabelecimentos extremamente rentáveis, podem muito bem colocar dois ou três turnos de funcionários para trabalhar. Ah, e ao contrário do que se pensava, o comércio dos pequenos supermercados, mercearias dos bairros, armazéns, etc., não caiu. Porque ninguém se desloca, num domingo, até o centro da cidade para comprar umas coisinhas. Vai-se para fazer compras grandes, como se faria em qualquer dia da semana. Só que, aos domingos, tem-se mais comodidade, mais tranquilidade. O trivial continuamos comprando no mercadinho da esquina, na padaria da rua. E assim vai. Considero um avanço essa abertura e concordo MUITO com você com relação ao funcionamento 24 horas.

    Beijo

    Carla

    (desculpe o tamanho do comentário)

    ResponderEliminar
  2. Resolvi experimentar passar por um, mas em princípio não repito a experiência porque aparentemente em 10 milhões de portugueses, 9 tiveram a mesma ideia e estavam lá.

    ResponderEliminar
  3. Carlos,
    Acredito que há pessoas que adoram Centros Comerciais e esperam ansiosas pelos fins de semana para lá irem, outras fogem deles como o Diabo da cruz :))))
    Como em tudo, uns ficarão contentes e outros descontentes.
    Bom seria recrutarem desempregados para estes dias....

    ResponderEliminar
  4. São os locais mais fantásticos para passar um tarde de domingo...
    nem sei como conseguimos viver até agora!

    ResponderEliminar
  5. A desvantagem é que, assim sendo, seguem a politica do governo na criação de postos de trabalho. Propôs este governo na campanha criar 150.000 postos de trabalho e é verdade, assim até são capazes de ultrapassar esse numero. Não contámos, nunca contámos quanto é que isso custaria, assim como quem não quer a coisa já lá vão 700.000 desempregados, mas os 150.000 é um numero que se irá atingir. Digam lá que o governo não sabe o que faz!!!!! Até pode chegar ao milhão de desempregados.... desde que se atinja os 150.000 postos de trabalho, não se pode alegar que o governo não atingiu os seus objectivos.

    ResponderEliminar
  6. Pois, nisso estava a pensar eu: em estragar domingos nos centros comerciais. Já bastante me dói ter de entrar neles para ir ao cinema.

    Enfim, isto é o que há. E nada me estranharia que o seu irónico vaticínio virasse certo, Carlos, e não criando mais postos de trabalho, mas obrigando as pessoas a trabalhar mais horas (e mais anos), que é o que parece que se quer impor.

    ResponderEliminar
  7. Pela primeira vez, logo eu que frequento pouco grandes superfícies, acho a sua crónica um pouco arredada da realidade, não sou tão viajada como o Carlos mas nos países mais desenvolvidos que visitei, há lojas que nunca fecham... Os correios funcionam mais horas, etc...

    ResponderEliminar
  8. Apoio 100% a decisão. Não para tornar os consumidores mais felizes, mas pela criação de mais (muitíssimos) postos de trabalho que neste momento é o que mais importa.
    Não compreendo porquê, haja quem não ache bem !
    Quem não precisar de trabalhar não tem que se sujeitar a trabalhar ao Domingo ! ...
    Aliás, quantas actividades há que têm que o fazer, quer lhes custe, quer não !
    .

    ResponderEliminar
  9. Quem perde são de facto as médias superfícies, a medida em nada afecta o pequeno comércio, que aliás prima pela ausência aos domingos, diga-se em abono da verdade. Hoje à tarde precisei de ir à perfumaria e lá fui ao Oeiras Shopping. O parque de estacionamento estava lotado, e havia uma multidão às compras no Continente. Eu pergunto-me, onde é que esta gente se abastecia até agora? Isto faz-me uma certa confusão, até porque para mim uma ída ao Super é um suplício....

    :)))

    ResponderEliminar
  10. Hoje, a "leste" de me lembrar que a coisa tinha novo horário, fui ao colombo à procura de uns sapatinhos. A caminho, liguei para a minha mãe a perguntar se queria ir, por coincidência, já lá estava. Que caos.
    Filas enormes para entrar no estacionamento, lá arranjei um lugarzito sem grande dificuldade, mesmo assim, quando subo, a loucura.
    O hipermercado parecia um formigueiro, filas enormes nas caixas, mas, nos carrinhos, nem por isso com muitas compras.
    Alguém me explica o fenómeno? Já em casa ouvi dizer que havia desconto de 10% em todos os produtos. Não consigo comprovar a veracidade da coisa. Mas, a confirmar-se, qual a diferença?
    De manhã, ou nos outros dias, os produtos não podem custar também menos 10%?
    Horários até à meia noite? Para quê?
    Que saudades do comércio a abrir às 9, fechar para almoço das 13 às 15 horas e encerrar às 19.
    E ninguém morreu à fome por causa de umas horinhas sem se poder comprar umas batatas.
    Agora arriscamo-nos a ter horas para tudo, mas sem cheta para um pacote de bolachas...
    Claro que eu também podia comprar os sapatos durante a semana e a horas decentes....
    Não sendo fâ deste tipo de superficies comerciais, confesso que dá algum jeito ter uma quantidade muito variável de lojas num mesmo espaço, para, no meu caso, no mais curto espaço de tempo, poder ver e talvez comprar o que procuro.
    Tirando isso, não me perco mais que uma hora, hora e meia em passeatas neste centros....
    Mas claro que há quem goste. Que seja para esses...

    ResponderEliminar
  11. Esta "bela" notícia nem me admirou assim tanto, até que pelos vistos o Natal já está aí à porta! Mas é nesta relação: horas de funcionamento/postos de trabalho que está o busílis da questão. Gerará?!

    ResponderEliminar
  12. Desta vez discordo: todos os Domingos passo pelo supermercado, pequeno de bairro. Para comprar pão e uma ou outra coisa que falte. E está sempre cheio de gente, tanto que abriram outro ao lado.

    O facto de os hipermercados também ficarem abertos não lhes vai tirar grande clientela - eles JÁ estavam abertos! E uma coisa é ir ao super mais próximo, outro andar seca e meca numa grande superfície ao Domingo... :)

    ResponderEliminar
  13. Carlos, uma amiga minha, que trabalha no continente do colombo, na caixa, acabou de me dizer que não metem mais ninguém. Os que já estão, é que fazem mais horas, que são pagas a dobrar.
    Verdade? Pois, foi o que ela acabou de me dizer.
    Mas se é assim durante a semana, mais meio dia....

    ResponderEliminar