quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A Bem da Nação

Mão amiga fez-me chegar a Resolução nº 21/ 2009 ( publicada no DR de 26 de Março ) da Assembleia da República sobre o regime de presenças e faltas ao Plenário em cujo nº7 se pode ler esta pérola preciosa:
“ A palavra do Deputado faz fé, não carecendo porisso de comprovativos adicionais. Quando for invocadoo motivo de doença, poderá, porém, ser exigido atestado médico caso a situação se prolongue por mais de uma semana".
São estes regimes de excepção que credibilizam a democracia e a actividade dos deputados. A bem da Nação.

7 comentários:

  1. Mais uma...
    Será que existem este tipo de reoluções na Suécia ou na Finlândia?

    Salvador

    ResponderEliminar
  2. 26 de Março?
    Provavelmente era para preparem a mentira de 1º de Abril.
    Só pode!

    ResponderEliminar
  3. Triste esta cumplicidade ao mais alto nível com os regimes de excepção... sem fundamento, como estamos cansados de constatar!
    Abraço...

    ResponderEliminar
  4. Ó sim, a palavra de um deputado da nação vale mais do que a palavra de um outro qualquer cidadão de terceira. Acho bem, então!

    ResponderEliminar
  5. Por uma semana? Não deveria ser antes um mês?:):):)Asim não dá para se fazerem umas férias completas, com subsídio de doença...

    ResponderEliminar
  6. Sim, a palavra deles deve ser melhor do que a dos outros, que podem ser despedidos com justa causa, caso faltem 5 dias úteis consecutivos ao trabalho...

    Não sei porquê, lembrei-me do "Triunfo dos Porcos"! :S

    ResponderEliminar