quarta-feira, 7 de julho de 2010

O Polvo

Tal como o polvo Paul prognosticara, a Espanha venceu a Alemanha e no domingo discutirá o título com a Holanda. Se ganhar, sempre podemos dizer que Portugal foi eliminado pelo campeão europeu e do mundo, mas isso não deverá impedir os detractores de Queiroz de exigirem a sua demissão e continuarem a incensar Scolari e a sua táctica da Nossa Senhora de Caravaggio a ponta de lança e Roberto Leal como armador de jogo. Com os resultados brilhantes que se conhecem ( derrotas no jogo de abertura e na final do Europeu, em Lisboa, com esse colosso do futebol mundial que é a Grécia).
Claro que a derrota desprestigiante com a Espanha só foi possível porque Carlos Queiroz é um treinador medroso. Aliás, a Alemanha também não ganhou aos pupilos de Del Bosque, porque o polvo não deixou e o treinador alemão decidiu seguir a táctica medrosa de Queiroz . Apenas falhou no aspecto defensivo, porque o golo espanhol não foi marcado por David Villa em fora de jogo…
Como afirmaram alguns comentadores encartados, que agora tentam virar o bico ao prego, a Espanha estava perfeitamente ao nosso alcance. Pois estava e só não somos campeões do mundo, porque Queiroz- apesar de ser o único treinador que nos deu dois campeonatos do mundo sub-21- não percebe nada de futebol e é um medroso.
Adenda: E agora vou ao Cortiço comer um polvo à lagareiro. Em memória do Paul!

8 comentários:

  1. Os meus vizinhos holandeses vão dar cabo dos espanhóis no próximo domingo!!!
    Neste Mundial sofri duas vezes por causa deles: a derrota contra Portugal e agora contra a Alemanha.
    A minha bisavó, que me perdoe, mas eu não gosto dos nossos vizinhos ibéricos.
    O meu coração fica a sangrar até domingo... e o meu "cara metade" ficou nas calmas com esta derrota da Alemanha. Também me apetecia dar-lhe um murro, como alguns
    homens portugueses fazem às mulheres, quando a equipa deles perde!!!

    Vamos lá ver se este comentário fica.

    ResponderEliminar
  2. Medroso não direi, mas cagão está à vista. Normalmente joga com 4 ou 5 centrais. Quanto ao Holanda-Espanha por mim bem podiam empatar.

    ResponderEliminar
  3. Calma Carlos,
    Não sei qual é a opinião de outros.
    Entre Scolari e Queiroz eu escolho ...outro qualquer.
    Scolari só aproveitou a geração que Mourinho criou.
    Mesmo assim, conseguiu a borrada que todos conhecemos.
    Apenas lhe reconheço um mérito - conseguiu uma entropia entre a selecção e o público que não tinha memória de ver.
    Queiroz até isso conseguiu destruir.
    Como já li, hoje há muita boa gente que fica mais aborrecida se o Benfica perder um jogo de pré época do que se a selecção perder um qualquer jogo.
    O entusiasmo desapareceu.
    E é Queiroz o responsével por esse desaparecimento.
    Quanto a uma possível vitória sobre a Espanha, nunca saberemos se a mesma era possível, ou não.
    Simplesmente porque um seleccionador medroso e incompetente não nos deu essa oportunidade.
    Os espanhóis têm melhor selecção que nós, melhores valores individuais?
    Claro que sim.
    Mas, ao contrário do seleccionador, essa constatação não me faz tremer.
    Temos que tentar ganhar os jogos.
    Se, no final, perdermos, paciência.
    Jogar para não perder, ou perder por poucos, isso é inadmissível.

    ResponderEliminar
  4. De facto, deixar comentário está complicado.

    Ainda gostaria de saber como o polvo funciona.

    Bom dia.

    ResponderEliminar
  5. Espero que seja a Holanda a ganhar, pois gosto do futebol que eles jogam.
    E não não tenho nada contra os nostros hermanos.

    Quanto ao Queirós eu sei o que lhe falta.....um pontapé no traseiro, porque ele não vai largar o osso agora que o tem na mão.

    Ele é e será sempre um bom adjunto....nada mais.

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  6. O problema é que cada português se julga sempre melhor treinador que o próprio seleccionador, de modo que não param de dizer cobras e lagartos, apontando-lhes inúmeros defeitos. Qualquer que seja... :s

    ResponderEliminar
  7. Eu estou com o Pedro Coimbra, acrescentando que poderíamos ter ganho ao Brasil, não fosse a táctica merdosa do empate.
    Na véspera do jogo carlos Queirós disse, quando entrevistado, que não desdenhava um empate.
    raios! não se pode entrer derrotado ou empatado num jogo!

    Por outro lado, Queirós é português, português daqueles que vivem à sombra da bananeira do que já se foi, mas que já se não é.

    ResponderEliminar