quarta-feira, 19 de maio de 2010

O Mundo pula, mas não avança



Depois do quase fracasso da Cimeira de Copenhague, as esperanças de alcançar um acordo que estabeleça as metas pós- Quioto , viraram-se para o México, onde se realizará nova Cimeira em Julho. Com a crise financeira global, são poucas as esperanças na concretização desse acordo. Os mais optimistas admitem que no próximo ano na África do Sul,ou o mais tardar em 2012, no Brasil, seja possível o mundo adoptar regras que permitam reduzir os danos que temos vindo a provocar no Planeta.

Acredito que em 2012 seja possível chegar a uma plataforma de acordos mínimos, mas não mais do que isso. A crise económica e financeira não estará ainda resolvida em 2012 e os senhores que governam o mundo continuarão a privilegiar o desenvolvimento económico em detrimento da sustentabilidade do Planeta.

Um dia- talvez não muito distante- as gerações mais jovens vão cobrar a esta geração de políticos acéfalos a sua incúria com a preservação da nossa casa comum e perguntarão para que serviu garantir a sustentabilidade económica e financeira, se a vida na Terra se tornou insustentável mas, muito provavelmente, a maioria dos responsáveis pela degradação das condições ambientais, não estarão cá para lhes responder.

5 comentários:

  1. Gosteí imenso da imagem... À parte disso, há já algum tempo que não acredito nem nos homens, nem nesta espécie de projecto totalmente falhado que é a humanidade. Pagará também o justo pelo pecador, porque também há quem tenha valor, mas o lixo é muito e neste projecto a quantidade de gente que corrompe, corroí e mina o nosso planeta é preponderante! Lamento porque tinhamos tudo para ser tão felizes!

    ResponderEliminar
  2. E vamos ver se estes não estarão a pôr em causa a, própria, existência das futuras gerações. Para destruir, são uns especialistas de primeira e tudo por lucro, imagine o que fariam se tivessem vida eterna.

    ResponderEliminar
  3. Carlos,
    Acho que as gerações futuras (as proximas futuras) serão tal como as actuais, divididas por interesses...Condicionarão os seus comportamentos aos seus interesses de classe.Só não será assim se a lógica do poder se inverter. Ora tal não se vislumbra nos tempos mais próximos.
    Planeta? Qual planeta? A conta é que conta! E contará.

    Resta-nos ir resistindo

    ResponderEliminar
  4. Provavelmente nessa altura aparecerão outros políticos acéfalos que empurrarão o problema com a barriga até ser tarde, aí não existirão nem acusadores nem acusados.

    ResponderEliminar