quarta-feira, 28 de abril de 2010

Olha que dois!




Manuela Ferreira Leite passou seis meses a chamar mentiroso a José Sócrates. Nunca apresentou uma prova, mas repetiu a acusação até à exaustão. Esperava que na Comissão de Inquérito da AR a ex-líder do PSD explicasse, finalmente,com um caso concreto, quais os fundamentos das suas acusações.Ao fim de hora e meia de interrogatório, o país ficou a saber que as provas de MFL assentam na “experiência com crianças” e no seu raciocínio.
Seria hilariante, não se desse o caso de MFL ter sido durante quase dois anos líder do principal partido da oposição e candidata a chefe de governo.Não sei qual a experiência que MFL terá com crianças, mas quanto ao seu raciocínio deve andar pelas ruas da amargura.
Entretanto, Cavaco Silva, no seu discurso do 25 de Abril “aconselhou” o governo a investir na cultura. Quem não se lembra do forte investimento de Cavaco Silva nesta área, quando era primeiro-ministro, com a nomeação de dois vultos da cultura portuguesa, como Santana Lopes e Sousa Lara?
Estas atoardas do par que sonhou dirigir os destinos do país serão efeito do calor, ou da eleição de Passos Coelho?

7 comentários:

  1. Essa da "Cultura"é preciso investir com cuidado, ou acabar com esse Ministério(sempre se poupava) porque com portugueses já a passarem fome, acho ridículas e impróprias as palavras do P.R.
    Por acaso, eu até acho que a maioria dos nossos governantes já não deve estar a viver em Portugal.

    ResponderEliminar
  2. A D. Manuela já deveria saber que, mesmo que tivesse provas, estas seriam arquivadas ou destruidas e de raciocinios ninguém é condenado.

    O Sr. Presidente acusa o governo (subtilmente) e o Primeiro Ministro acha o discurso 'inspirador'. Serão estas as crianças que Manuela Ferreira Leite está habituada a lidar?


    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Carlos, duas figuras que já nos habituaram a figuras tristes, nem vale a pena dar-lhes grande publicidade.

    ResponderEliminar
  4. Talvez haja uma terceira hipótese.
    Não há duas sem três, não é verdade?
    Abracinho

    ResponderEliminar
  5. Um lindo par de jarras, que a maioria das vezes faziam melhor se tivessem mais tabus e permanecessem calados!

    ResponderEliminar
  6. Um amigo, jornalista, explicou-me o que é dado como exemplo clássico de jornalismo de tablóide - "Fulano de tal é paneleiro! Só não temos é provas."
    A Manuela Ferreira Leite seguia esse exemplo - O Sócrates é mentiroso. Só não tenho é provas.
    Abraço

    ResponderEliminar