quarta-feira, 28 de abril de 2010

10 medidas de combate à crise

Sócrates e Passos Coelho chegaram hoje a um acordo para combater a crise provocada pela acção especulativa dos mercados financeiros, que contempla cortes em prestações sociais como o subsídio de desemprego e as pensões. Já há por aí quem fale em cortes nos vencimentos dos funcionários públicos, agravamento das condições de reforma e congelamento do 13º mês.
Também tenho umas propostas a fazer, que aliviam os cofres do Estado, cortando apenas nos privilégios dos mais favorecidos:
1- Reduzir o número de deputados a metade e acabar com as suas mordomias sumptuárias.
2- Reduzir os gastos dos gabinetes, cortando 25% no número de assessores, secretárias, consultores, etc.
3- Acabar com as boleias, em carros do Estado, às esposas e restantes familiares. As criancinhas podem ir para a escola de transportes públicos e quando for necessário levar o cão ou o gato ao veterinário, podem ir de táxi.
4- Fiscalizar os consultórios de médicos , advogados e outras profissões liberais.
5- Controlar de forma mais eficiente as fugas ao IVA e a facturação das empresas.
6- Obrigar os bancos a pagar tributação idêntica à das restantes empresas.
7- Taxar a 70% os prémios de gestores.
8- Taxar a 45% as despesas com jantares, festas, férias e similares, apresentadas pelas empresas.
9- Acabar com o forró da compra de carros e outros bens imobiliários, em nome das empresas, quando toda a gente sabe que servem, na maioria das vezes, para outros fins.
10- Reduzir o outsourcing na Administração Pública.
Convido os leitores do CR a acrescentar mais propostas a esta lista.

8 comentários:

  1. Carlos, aumentava-lhe a lista, com todo o gosto. Eu até tenho ideias sobre isso. Só que quem tem de executar o que está na lista é o executivo...
    Acha que vale a pena termos esta "trabalhera"?

    Alternativa:

    Transformar o hemiciclo na sua metade esquerda a fim de impossibilitar um centrão normal. Qualquer centrão sobre o quarto de ciclo que teriamos, seria, ainda assim uma solução de esquerda. Onde a extrema direita dessa esquerda, seria sempre, a estrema esquerda do PSD.
    Não percebeu?
    Aposto que ninguem percebeu!
    (desculpem, fiquei neste estado depois daqueles dois me falarem ao coração...)

    ResponderEliminar
  2. Concordo totalmente com as suas 10 medidas. Seria um bom começo, mas acha que "eles" se vão penalizar a "eles" mesmos?

    ResponderEliminar
  3. Se tomassem as medidas que aqui escreveu, já era muito bom.
    Aqui vai uma muito importante:
    PARAR de pedir Pareceres a escritórios de advogados no valor de Milhões e começar a usar os técnicos que têm nos Ministérios.
    E não venham dizer que os outros são melhores, porque só pelo Parecer sobre os submarinos, pagou-se e,à mesma, meteram água ;)

    ResponderEliminar
  4. Amigo Carlos a sua lista já é um bom principio, mas deixe-me acrescentar também um corte nos oficiais de alta patente do nosso exercito e na redução das regalias dos mesmos. Somos um país pequeno para tanto generais e corneis reformados e no activo...

    Um beijo com cheiro a madrugada, Ava.

    ResponderEliminar
  5. Justiça nos impostos e o fim da corrupção. Acho que chegava.

    ResponderEliminar
  6. Apoiado!!! Você bem que poderia sugerir isso aqui no Congresso Nacional...só não sei o tamanho da briga que estaria disposto a comprar.

    ResponderEliminar
  7. Então aqui vão duas:

    - Despedimento colectivo de todos os funcionários públicos.

    - Ilegalizar os desempregados.

    Vou ver as TVs para assim acrescentar mais algumas...

    ResponderEliminar
  8. Se fosse uma petição, assinava já, pois concordo inteiramente!

    ResponderEliminar