segunda-feira, 11 de maio de 2009

Pronúncia do Norte (15)

FRANCESINHA=



= FRANCESINHA
Estarão vocês a matutar: por que raio é que este gajo inclui as Francesinhas na Pronúncia do Norte? Elementar meus caros! Esta iguaria é de origem Visigoda e só entrou no vocabulário da Mouraria durante a Expo-98.
Quando vim viver para Lisboa, às vezes dizia aos meus amigos cá da capital: “ Este fim de semana vou ao Porto comer uma francesinha”. Eles olhavam –me com ar de gozo e logo me chamavam gabarolas. Uma vez, um até me disse:
“Estás sempre a gabar-te que vais ao Porto comer uma francesinha, bem podias comer uma cá para a gente acreditar na tua bazófia”.
Eu lá lhe expliquei que uma francesinha só podia ser comida na Regaleira da Rua do Bonjardim, o que aumentou ainda mais a sua desconfiança. Deve ter ficado a pensar que a francesinha era uma prostituta fina… Não desarmei e prometi trazer-lhe uma fotografia, para ele dar a sua opinião. Quando a viu, olhou para mim com cara de enjoo. Coitado, não sabia o que era bom!Como vos disse, as francesinhas só começaram a ser conhecidas em Lisboa depois da Expo-98, fruto da globalização gastronómica interna. Fiz várias tentativas, em vários restaurantes do país, mas quase todas se revelaram decepcionantes. Não só ao nível dos ingredientes, mas também no que concerne ao ponto de cozedura do pão e à textura do molho, nenhuma se compara às que se podem comer em alguns locais do Porto ( mas aviso desde já que também no Porto se vende muita “francesinha” que não respeita os cânones idealizados pelo seu criador).
Diz-me a experiência que a sul do Douro a francesinha é uma iguaria muito mal enjorcada, que me deixa a suspirar pelas originais da Regaleira, ou as sucedâneas do Capa Negra ou da Cufra.
Seja qual for o local onde as deguste, continuo a optar pela versão original e repudio as variantes pós –modernas que a fazem acompanhar de ovo estrelado, batata frita ou camarão. Gastronomicamente sou um conservador.

56 comentários:

  1. E fazes bem!
    Eu que adoro farinheira ando enjoada com um anuncio de pizza de farinheira, tenham dó!
    Francesinhas é lá em cima, carne de porco com ameijoas é cá em baixo, Jesuitas, regueifas, broa de milho lá em cima e assim sucessivamente!

    beijos

    ResponderEliminar
  2. E foi na Regaleira, que eu comi a minha primeira francesinha!

    ResponderEliminar
  3. Comi pela 1ª vez na Regaleira uma francesinha a semana passada - melhor: na Regaleira como a 1ª vez, que francesinahs já tinham marchado mais que muitas!
    A atirar pró picantito!
    O Salvoconduto disse que já se comeram lá melhores. Mas tão perto, tinha que ir provar LÁ!
    CAPA NEGRA OU CUFRA - tenho que experimentar!:)

    ResponderEliminar
  4. Eu apesar de ser do Porto não gosto, porque não gosto fr queijo, mas acompanhei amigos meus em romarias ao café Cenáculo, perto da Arca d'Água para eles coemrem francesinhas...
    Aqui em Braga, onde estou agora desterrada, também não existem com qualidade, pelo menos!

    ResponderEliminar
  5. Ai não é não!!
    Onde já se viu um Portista de gema não comer tripas e recusar um rancho, hum???
    Desiludiu-me, Carlos, desiludiu-me, acho que o seu paladar já foi estragado pelos mouros, tsk, tsk, tsk... (e olhe que há mais quem pense assim!)

    P.S. Se não acredita, passe lá em casa e veja discussão que pra lá vai!!!

    ResponderEliminar
  6. Eu cá por mim só para vincar a diferença escreveria franceZinha.
    As melhores, até hoje, comi-as num café/snack na Rua Costa Cabral, infelizmente já desaparecido.

    ResponderEliminar
  7. Carlos,

    Fiquei doidinha por saber do que são feitas as francesinhas. Pode, por favor me informar?

    ResponderEliminar
  8. Sempre que vou ao Porto passo pelo Capa Negra para comer uma francesinha. É maravilhosa.

    ResponderEliminar
  9. Pois eu sou das tais que ainda não comi uma francesinha a sério! Lol
    Um dia que vá ao Porto, vou a um dos locais que mencionou.
    Beijinhos Carlos

    ResponderEliminar
  10. Eu ainda não consegui comer uma de que gostasse. Na próxima excursão ao Porto -que já não tarda- talvez vá experimentar uma na Regaleira e depois conto. (`_^)

    ResponderEliminar
  11. ou no Guarda-Sol da Póvoa do Varzim .. ;) ah pois é! Delicious *

    ResponderEliminar
  12. Aí está uma coisa que nunca comi. Mas como já disse que não conheço o Porto, o que sei que é absolutamente indesculpável, não admira. Já agora, combinou com a Si esta conspiração para nos abrir o apetite?

    ResponderEliminar
  13. Também não acho piada às "modernices" introduzidas...

    :)))

    ResponderEliminar
  14. Ana: como dizia o velho anúncio da Sical: Cada terra com seu uso...

    ResponderEliminar
  15. Patti: Nada melhor do que ter bons guias no Porto, não é?

    ResponderEliminar
  16. Lúcia: Concordo com o Salvo, mas mesmo assim ainda são as melhores. Em minha opinião, claro...

    ResponderEliminar
  17. Reflexos: conheço o Cenáculo, mas nunca lá comi francesinhas

    ResponderEliminar
  18. Si: Ontem não tive oportunidade de voltar ao seu cantinho depois de fazer o meu comentário, porque estive feito escuteiro., como explico no post acima. Quando responder aos comentários, vou lá ler.
    Mesmo quando vivia no Porto, não gostava de Rancho...

    ResponderEliminar
  19. Salvo: esse segredo desconhecia, apesar de ser bem perto da minha casa.

    ResponderEliminar
  20. Dulce: O molho da receita original é um segredo bem guardado. Deixo-lhe aqui uma receita que já experimentei e foi a que mais se aproximou do original. Se experimentar, dê-me depois a sua opinião:
    Ingredientes:
    para a cobertura - Molho:

    1 cerveja
    1 caldo de carne (knorr)
    2 folhas de louro
    1 colher de (sopa) de margarina
    1 calice de Brandy ou Porto
    1 colher de (sopa) de maizena
    2 colheres de (sopa) de polpa de tomate
    1/2 copo ( +- 1dl ) de leite
    piri-piri q.b.
    Dissolver bem a maizena com o leite juntar os restantes ingredientes e com a varinha mágica triturar, levar ao lume até ferver e engrossar um pouco mexendo para não pegar.

    para as Francesinhas:

    2 fatias de pão de forma
    fiambre q.b.
    queijo q.b.
    salsichas frescasq.b.
    linguiça q.b.
    carne assada ou bife q.b.
    Confecção:

    Fazer uma sandes com os ingredientes cobrir com queijo, colocar no centro de um prato e regar com o molho, e levar ao forno a gratinar.

    Nota: Eu substituo a margarina por manteiga, em menor quantidade do que a receita manda; só ponho uma colher de sopa de polpa tomate.
    Uso cerveja preta e ponhoum cálice de whiskey
    Importante a qualidade do queijo. Uso flamengo, bom para gratinar, mas a marca também é importante

    Bom Apetite!

    ResponderEliminar
  21. Viagens Lacoste: A seguir à da Regaleira, para mim também é a melhor

    ResponderEliminar
  22. Suni Iou Miou: Então com o Porto aí tão perto e nunca comeu uma francesinha? Imperdoável!

    ResponderEliminar
  23. Once: Confirmo. Há muito tempo que não como lá, mas eram umas excelentes francesinhas, sim senhora.

    ResponderEliminar
  24. Fada: Por acaso até era para escrever sobre comida moldava, mas depois deu-me para isto. Tem que suprir rapidamente essa lacuna ( de não ir ao Porto) e aproveitar para comer a francesinha. Atenção, porém, que não é pitéu do agrado de estômagos sensíveis.

    ResponderEliminar
  25. Na próxima visita quero ir à Regaleira, vou já avisar os meus anfitriões.

    ResponderEliminar
  26. Em 1992 passei uma semana no Porto, por acaso a do S.João, provei aí na Regaleira a minha 1ª francesinha. Em Lisboa ainda não encontrei uma digna de merecer destaque.

    ResponderEliminar
  27. E as francesinhas moldavas????!!!!
    Brincadeirinha.
    Até agora gostei de todas as francesinhas que comi ; se a da regaleira é um regalo, pronto, estamos bem!

    ResponderEliminar
  28. A sua descrição parece-me bastante sedutora, o que provavelmente aconteceria era não comer mais nada o resto do dia.

    ResponderEliminar
  29. Aiiii as saudades que eu tenho de comer uma francesinha!!!

    ehheheh sim, eu gosto de francesinhas :) não sei se provei das "boas" ou se as alteradas! Mas lá que era bom era!! E foi a Norte do Douro Lol

    bjcaaaaaa

    ResponderEliminar
  30. Hummm! de vez enquando cai tão bemmm!
    Se não fosse a hora(já almocei,né) eu diria que já marchava!

    ResponderEliminar
  31. Recuso-me a comer francesinhas fora da tríade Regaleira, Capa Negra e Cufra.
    Ó Si, nem todos os portistas gostam de tripas. Eu detesto e já tenho direito a Dragão d'Ouro.

    ResponderEliminar
  32. Então meus caros ninguém conhece o ÀCUNHA 2 perto da casa de Ramalde?!
    Só serve fracesintas e pregos no prato!

    Quanto a mim claro é a melhor Francesinha do Porto
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  33. Maloud,
    Se não gostar de tripas e der o sim ao rancho, ou à mão de vaca estufada com ervilhas, ainda vá que não vá, agora recusar todos, já não me parece difícil, a não ser que seja muito adepta de um arrozinho pica no chão bem escurinho e aí já estamos bem outra vez!
    Portista de Dragão de Ouro, tem que ter força com comida de sustança pra gritar 'Puuuooooooorto - Teeeeetrrra!!'
    : )))

    ResponderEliminar
  34. Lacoste: Faz muito bem, porque vae mesmo a pena

    ResponderEliminar
  35. Gi: Mas comeu-as em Lisboa ou no Porto? É que se foi em Lisboa,ainda não sabe o que são francesinhas. Só mesmo as moldavas!

    ResponderEliminar
  36. Fada: É uma boa comida para o jantar. Desde que ao almoço tenha comido umas tripas ou um rancho, como a Si recomenda(rsrsrs)
    E no fim pode sempre comer um D. Rodrigo e beber uma amêndoa amarga...

    ResponderEliminar
  37. de dentro: a esta hora, se estivesse no Porto, a já a correr comer uma

    ResponderEliminar
  38. maloud: Sigo o mesmo princípio, mas a Cufra é sempre a minha terceira hipótese.
    Há uns anos a do Guarda Sol na Póvoa( de que fala a Once) também não era nada má.

    ResponderEliminar
  39. ftavares: nunca ouvi falar,mas vou pôr no meu roteiro de francesinhas

    ResponderEliminar
  40. E faz muito bem em não querer estas modernices do ovo a cavalo. Para isso já tinhamos o bitoque que alguns lisboetas têm a mania de dizer que é parecido.
    A francesinha está para o Porto como o bife da Portugália está para Lisboa. E mai nada!
    Se me deixar, acrescente a francesinha do Dupark que é boa, tem ambiente giro e a gente de Lisboa pode comer naquela Avenida que muitos chamam de Belavista mas que na realidade é Boavista.

    ResponderEliminar
  41. Carlos, por solidariedade também acrescento o Cenáculo, esse grande café onde passei horas a estudar nos tempos da FEP. Tinha mesas marcadas e tudo. E ainda hoje tem placas com o nome dos estudantes que por lá passaram.

    ResponderEliminar
  42. Carlos

    Muitissimo obrigada pela receita, que parece mesmo deliciosa.

    ResponderEliminar
  43. Espero que ninguém se ofenda comigo, mas não consigo comer isso. Não passa no goto. E eu até sou um tipo de boa boca, mas francesinhas não... favas idem, canja pior ainda e dobrada (o outro dizia, só direita) muito menos. De resto, marcha tudo.... ;)

    ResponderEliminar
  44. Grande Joia: Agoa que já conhecem aquilo que pensam que são francesnhas, já estão a perder a mania de as comparar com o bitoque.
    Como já disse noutro comentário, conheço o Cenáculo, mas nunca lá cmi francesinhas.

    ResponderEliminar
  45. Tó Zé: Se frequentar este blogobairro com assiduidade, vai ver que começa a gostar de francesinhas. Onde é que comeu? Se não foi no Porto, percebo que não tenha gostado...

    ResponderEliminar
  46. Acunha? Já ouvi muito falar, mas nunca experimentei. E confesso também não conhecer as originais da Regaleira.
    Recomendo as do Poeta, ao Carvalhido: menos dispendiosas que as do Capa Negra, com a vantagem de raramente haver filas.

    ResponderEliminar
  47. Imperdoável para este tripeiro, cheguei tarde à degustação desta picante francesinha mas não faz mal que sempre que este fim-de-semana estarei presente à frente de uma francesinha à maneira e de uma fila de finos bem tirados.

    ResponderEliminar
  48. Pronto! Lá salvei a honra do convento. Gosto de rancho ( a vitelinha tem de ser magra) e de arroz de cabidela (a galinha, sem cabeça e patas, que eu sou muito "sensível", e o sangue vêm dos lados de Barcelos).

    ResponderEliminar
  49. Confesso que nunca comi nenhuma mas quando for ao Porto, hei-de experimentar.
    Veludinhos

    ResponderEliminar
  50. Ai Carlos....!
    Eu devo uma francesinha feita por mim a uma amiga aí há uns 2 anos!!!
    Se não cumpro a promessa, ainda me meto num valente 31....

    ResponderEliminar
  51. Sou muito viajado, cá dentro, portanto não há hipótese de ter sido enganado.
    Já tentei por várias vezes, em vários locais, mas não... Não gosto mesmo.

    ResponderEliminar