terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Salazar, o Galã

A SIC exibiu, nas noites de domingo e segunda –feira, uma série de ficção sobre a vida amorosa de Salazar. Eu só vi 15 minutos do primeiro episódio e 10 do segundo. Não sou apreciador de filmes de ficção científica, mas ver Salazar transformado em galã, despertou-me a curiosidade.
Admito que se trate de uma série de grande envergadura , com um registo histórico provavelmente do maior interesse, mas como nos minutos que lhe dediquei a única aproximação do ditador que descortinei, foi um pezinho a roçar no sapato de uma miúda que tocava piano, fiquei com a sensação que, como em tudo na vida, Salazar também tratava as coisas do amor com os pés.
Pior ainda, fiquei a pensar que o homem tinha mais jeito para mandar tipos inocentes para a cadeia, a fim de serem massacrados pela PIDE, do que para enviar cartas de amor. Além disso, durante o tempo que dediquei ao seriado, vi mais diálogos entre Salazar e Cerejeira, do que entre o homem de Santa Comba e uma mulher, o que me levou logo a tirar conclusões precipitadas sobre os objectivos da série, exibida no momento em que uma lésbica chegou ao poder na Islândia…
Bem, mas isto é a minha mente perversa que, com uma pontinha de sol, começa logo a disparatar.Pronto, se alguém viu e me quiser dar a sua opinião, fico muito grato, mas por favor não infiram deste post que sou homofóbico.

18 comentários:

  1. Mas por que raio é que eu vi exactamente as mesmas cenas, assim de fugida??
    Eles andem aí..andem...

    (Do resto ainda não sei falar, pus a gravar e não consegui ver...)

    ResponderEliminar
  2. Oi Carlos, desculpa o meu sumiço, é que esses ultimos dias tem sido bem corridos.
    Ja me coloquei a par de todos os textos que perdi, e digo que eu queria que o Scolari (que aqui no Brasil é chamado de Felipão) voltasse pra seleção brasileira, eu o considero um ótimo tecnico, e o nosso tecnico atual,o Dunga é bem ruim!rs!
    Ah, que horrivel essa história de carga horaria de 12 horas nas escolas, os pais querem se livrar dos filhos ou delegar suas obrigações a outros e largam as crianças nas escolas, que feio isso!
    Sobre esse post, bom eu não conheço a história de Salazar, mas pela foto, bom, ele ta distante de qualquer coisa próxima de ser um galã!rsrsrsrsrsrsrsrs!!!

    Ah, tem um selo pra você lá no blg!

    Bjãoo

    ResponderEliminar
  3. A chuva é má, mas o sol ainda é pior. E viva a maldade. Com mais mentes perversas como a sua o mundo devia ser um lugar melhor, mas a gente inteligente não quer mandar e ficamos governados por imbecis perigosos.

    ResponderEliminar
  4. vi os dois episódios.
    foi mau a todos os níveis.
    já tinha conhecimento daquilo.
    o guião foi feito, muito provavelmente, com a fotobiografia publicada pelo CC à frente.
    aquilo de pesquisa teve zero.
    eu tinha feito melhor.
    modéstia muito ao largo, claro.
    um abraço.
    ;)

    ResponderEliminar
  5. O Carlos está a falar daquela comédia da SIC, com um senhor de sotaque e de cabelos brancos, não é?

    ResponderEliminar
  6. Sou tão inculta... pensei que aquilo era só um dia.
    1minuto no domingo...
    Sou aversa a mudar a imagem que o meu imaginário individual criou de Salazar. Quero a ideia do diatador e naõ do Salazr apaixonado (sim, sei que podemos ter muitas coisas dentro de nós), mas perdoe-me e deixe-me ser casmurra...

    ResponderEliminar
  7. Entrei aqui por casualidade...Um esmero! Um primor!Textos curtos, concisos, politicamente incorrectos. Espaço de bom humor e seriedade...é para acompanhar!

    ResponderEliminar
  8. Eu por acaso o único bocado que consegui vislumbrar foi uma cena passada entre o dito cujo Sal(azar) e um tipo da Igreja (que devia ser mesmo o Cerejeira), mais o decote da Soraia que fazia não sei de quem!

    Mas se então a vida secreta do homem era mais "parlapie" com o Cerejeira, vocês querem lá ver que ainda vamos aqui encontrar argumentário de campanha a propósito da proposta fracturante mais recente do Sócrates?

    ResponderEliminar
  9. Só vi a apresentação e como sei que nos anos de Salazar não haviam Sórias Chaves em Santa Comba eram só mulheres de bigode, vi logo que era ficção a mais e não estive para aí virado.

    ResponderEliminar
  10. Ai, raio, carlos, o que já me ri!
    Homfóbico não. salazarfóbico. mas quem não é?! E francamente, não imagino aquela criatura a amar, seja lá quem for.

    ResponderEliminar
  11. Nem vi.
    Não ando com paciência para fantochadas.
    Veludinhos azuis

    ResponderEliminar
  12. Eu não vi, mas já estou arrependida, porque hoje os meus alunos do 9ºano não falavam noutra coisa e eu ia tendo um ataque de urticária só de ouvir o que me contaram. Quando lhes quis falar do homem a propósito do Estado Novo, eu que falasse sim que iam dar uma volta, a única coisa que sabiam é que tinha sido um grande homem, porquê pois sim, vazio total. Agora a série a ajudar... só me saiem duques! Era o que faltava transformarem o homem num galã de meia tigela!!!

    ResponderEliminar
  13. Pelo que sei da história não me parece que sua Excelência fosse muito dada a tais prazeres.
    Não tive paciência para ver, porque de ficção já estou farta!

    ResponderEliminar
  14. Eu não vi e só de pensar num Salazar com vida romântica me causa engulhos. Por mero acaso até tenho histórias em "primeira mão" sobre tal sujeito e, de acordo com elas, não era só política e moralmente que ele era mau. Como pessoa também era horroroso.

    ResponderEliminar
  15. Vi...considerei de péssima qualidade.

    ResponderEliminar
  16. Tambem só vi poucos minutos, e chegaram perfeitamente, para perceber que aquilo era uma palhaçada.

    Será que é preciso ir "desenterrar" o morto para fazer subir as audiencias??!!

    ResponderEliminar
  17. Eu vi umas partes da série...com grande teor sexual...

    ResponderEliminar