sexta-feira, 9 de maio de 2008

A ministra desfocada


Ana Jorge, ministra da Saúde, foi ao Parlamento dizer aos deputados que discordava do ministro das Finanças. No bom estilo "se não gostas queixa-te ao Totta", aconselhou-os a apresentar as suas queixas a Teixeira dos Santos.
A ministra da saúde devia ter sido clara a explicar as razões porque discorda que os funcionários públicos possam ter acesso ao Hospital da Luz, mas não foi. Simplesmente, porque desconhece que os funcionários públicos descontam mais para a saúde do que os trabalhadores do regime geral?
Sobre o assunto, vale a pena ler o Eduardo Pitta, e o Jumento. ( Jumento do Dia)

5 comentários:

  1. Ultimamente instalou-se a convicção de que todos os males do mundo (leia-se, do País) são da responsabilidade dos funcionários públicos. Só que estes descontam mais para a sustentabilidade do modelo de prestação de cuidados sociais (incluíndo aqui tanto os cuidados médicos, como os cuidados sociais gerais) que todos os outros trabalhadores e, tal como qualquer outro trabalhador por conta de outrem, não conseguem "fugir" a nenhuma tributação (como conseguem as empresas, os trabalhadores independentes, etc, etc...).
    Estou para saber o que aconteceria se acabassem de vez com os funcionários públicos... Onde iria o Estado buscar verbas para financiar tanta coisa...?

    ResponderEliminar
  2. Que saudades que eu tenho do rigor do Correia de Campos. Esta Ana Jorge, funcionários públicos aparte, é a personificação da demagogia e da cobardia política. Não admira que tenha sido apoiante da campanha presidencial mais balofa a que assisti.

    ResponderEliminar
  3. ângela: Não podia estar mais de acordo consigo

    maloud: lá diz o ditado popular que "atrás de mim virá, quem de mim bom fará!"

    ResponderEliminar
  4. Se me permite, fui sempre uma defensora acérrima do Correia de Campos. Desde o tempo do Guterres e da meningite mediática. Caiu, porque o Sócrates teve medo da histeria das pseudo urgências e das pseudo maternidades.

    ResponderEliminar
  5. maloud: não ponho isso em dúvida... acontece é que a guerra de rua contra Correia de Campos, pôs a maioria das pax contra ele, sem saberem bem porquê.
    Não tenho dúvidas que Correia de Campos era muito mais consistente e conhecedor dos dossiês do que a actual ministra.Algumas das medidas que tomou eram impopulares, mas tinham a vantagem de serem sérias e ir de encontro àquilo que era preciso fazer.
    O que derrubou CC foi, além do que escreve, a guerra de capelinhas em que este país é fértil

    ResponderEliminar