quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Quem avisa...

Todos sabemos que há empresas que embora publiquem anualmente Relatórios de Sustentabilidade, e se proclamem como praticantes da Responsabilidade Social, exercem actividades que por vezes contrariam as suas boas intenções. Não pretendo com isto dizer que haja “hipocrisia” mas há , no mínimo, alguma falta de coerência que até pode dar a ideia que as empresas estão a “penitenciar-se” por práticas menos correctas. S
ão inúmeros os casos de empresas que poderia citar, revelando práticas que não coincidem com aquilo que proclamam. Limito-me, porém, a referir um caso de que tive recentemente conhecimento. A Sonae – que está a construir um empreendimento turístico em Tróia que ameaça os golfinhos do estuário do Sado – decidiu aplicar uma avultada verba para apoiar um estudo sobre a preservação destes animais.
Não está em causa o compromisso de Responsabilidade Social da Sonae ( que até é uma das empresas portuguesas que tem dado passos importantes nesse sentido, tendo inclusivé assinado o Global Compact das Nações Unidas ). O exemplo serve apenas para ilustrar o que acabo de escrever: quando uma empresa assume determinados compromissos perante os stakeholders, deve garantir que as suas acções sejam conformes com as suas práticas e negócios. Caso contrário, corre o risco de ser mal interpretada....
Eu sei que não é possível fazer tudo de uma vez e que se têm dado passos importantes nesta área por parte de várias empresas. Este post serve apenas para chamar a atenção para o facto de existirem empresas que utilizam a Responsabilidade Social como uma forma de “marketing”, iludindo a boa-fé dos consumidores. E isso, em minha opinião, é concorrência desleal!

1 comentário:

  1. A Responsabilidade Social das Empresas é uma treta para enganar os consumidores

    ResponderEliminar