segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Marcelo,o guia turístico



Tenho lido muitas críticas ao  PR por ter ido de férias rodeado de jornalistas.  É certo que não é uma situação muito comum, mas eu não critico o PR 
MRS  não está a fazer campanha, nem a promover a imagem. Está a dar a conhecer encantos deste país que a maioria dos portugueses, rotinados em praias das Caraíbas desconhecem. Conheço muito bem a região por onde Marcelo tem andado a tomar banho por estes dias e garanto-vos que merece uma visita, mesmo sem banhos nas águas quase sempre frias.  
A região alia  tranquilidade e beleza , combinação ideal para umas férias retemperadoras.  Faz bem MRS em promover esta região e em permitir que os jornalistas o acompanhem, pois só assim consegue o objectivo de divulgar uma região do país de enorme beleza.
E como os jornalistas só mostram MRS a sair da água e entrar na água, deixo-vos uma fotografia tirada na aldeia do Talasnal, em plena serra da Lousã, região sobre a qual fiz uma extensa reportagem fotográfica  quando lá estive pela última vez, no Outono de 2016. 

Espera-se o pior!

Num jogo entretido e por vezes bem disputado, vitória justíssima do FC do Porto na final da Supertaça, frente a um Aves que se bateu com dignidade, mas cuja entrega se traduziu num excesso de força que quase roçou a violência.
Desportivismo dentro e fora do relvado mas, cinco minutos depois do jogo terminar, aquele clube que pediu paz para a próxima época  fez um comunicado acusando FC do Porto de coagir o árbitro. 
Não pensava comentar tamanha idiotice mas como quem não se sente, não é filho de boa gente, quero lembrar os escribas da parte rufia da segunda circular, que o FC do Porto além de ver Brahimi lesionado, vítima de uma entrada violenta de um adversário, ainda viu o árbitro   fazer vista grossa a uma agressão a Herrera que o deixou a sangrar e todos os comentadores dizem ser merecedora de expulsão do jogador do Aves( este jogo não teve VAR, ou o VAR estava a dormir?) mas, perante os protestos do treinador e jogadores do FC do Porto, Luís Godinho expulsou Sérgio Conceição.
É certo que este  árbitro  já tinha feito um passe de grande qualidade a um jogador do Aves, que deu avanço no marcador  à equipa de José Mota e que o juiz eborense  já tinha entrado para o anedotário nacional da arbitragem no jogo em que depois de abalroar Danilo, ainda lhe deu ordem de expulsão. 
É certo que o FC do Porto já está habituado, há mais de 50 anos, a ser roubado por árbitros alentejanos ( lembram-se do gatuno Calabote?).  Os árbitros alentejanos gostam de boa pinga e Luís Godinho deve ter muitos vouchers para gastar na Catedral da Cerveja. 
Não precisavam por isso os escribas rufias da segunda circular de  demonstrar, com um comunicado saloio, que os êxitos do FC do Porto lhes provocam muita urticária e o calor  misturado com muito álcool lhes perturba a visão e o raciocínio. Se querem paz, pensem no Fenerbahce. É importante que se apurem para a fase de grupos da Liga dos Campeões e lavem a má imagem que deixaram na época passada. 
Do fundo do coração, desejo ao SLB a melhor sorte na Liga dos Campeões, mas em relação à pacificação do futebol tuga, parece-me (quase) impossível. O FC do Porto incomoda-os muito e precisam de muito álcool para dirigir os nossos êxitos.