sexta-feira, 20 de julho de 2018

Meninos, tenham (boas) maneiras!




Sou fã de ciclismo e, como tal, espectador atento das grandes provas mundiais, onde obviamente se inclui a Volta à França. 
Não perdi por isso a oportunidade de ver  ontem,em directo, a etapa rainha, que terminou no Alpe d'Huez.
Foi uma oportunidade para confirmar aquilo que sei há muito: povo não rima com poesia, como alguns me fizeram acreditar durante décadas, mas sim com estupidez. O comportamento dos "populares" franceses durante a subida ao Alpe d'Huez, abalroando, derrubando e afastando da discussão da vitória na etapa V. Nibali- um dos favoritos à vitória na etapa e  à vitória final- comprovou que o comportamento popular nada tem a ver com poesia. Em qualquer lugar do mundo, o povo é estúpido e comporta-se como os selvagens da pré-História.
É por causa dos comportamentos acéfalos das massas que cada vez menos acredito no elevador social proporcionado pela democracia. 
As desigualdades salariais podem ser atenuadas, mas todos os dias temos provas de que as desigualdades sociais só se podem combater com  forte aposta na formação mas, principalmente, na educação cívica e - não há que ter medo em assumi-lo- com algum músculo , para que as pessoas não confundam liberdade com libertinagem.

As vítimas de Pedrógão



Não tenho quaisquer dúvidas que entre os políticos há muitos corruptos. 
Mas também não duvido que entre os que acusam os políticos de serem corruptos, há muita gentinha a comportar-se como estas vítimas de Pedrógão.
Provavelmente alguns serão descendentes dos que transformaram os subsídios da UE para a agricultura em jeeps, automóveis topo de gama e férias nas Caraíbas.