quarta-feira, 18 de abril de 2018

Bibó Porto (80)




O propósito deste post era escrever sobre o Hotel Infante de Sagres, um ex-libris da cidade que ontem reabriu depois de obras de remodelação. Até tinha  repescado uma foto da última vez que lá estive, no Verão passado- a qual acabei por publicar apenas no FB.
Ia lembrar, inclusive, que quando fiz o check in fiquei surpreendido, porque a recepcionista não falava português, o que na altura me provocou uma enorme fúria. 
Acontece, porém, que enquanto me regozijava com a reabertura do Hotel e me preparava para enviar uma farpa aos proprietários do Infante Sagres, fazendo votos que os recepcionistas tivessem aproveitado a pausa das obras para aprenderem a falar português,  fiquei a saber que a empresa proprietária do Infante Sagres (The Fladgate Partnership)  vai forçar o encerramento de uma emblemática livraria da baixa do Porto, vizinha do Infante Sagres.


A Sousa e Almeida, instalada na Rua da Fábrica há mais de 60 anos (desde 1956) era especializada em literatura galega, brasileira e africana e era frequentada por alguns dos mais ilustres nomes   das Artes e Letras portuense.
Não se sabe que destino pretende a empresa proprietária do Infante Sagres dar à emblemática livraria da Rua da Fábrica, mas é sabido que é apenas mais uma das livrarias do centro do Porto que encerra as portas em 2018,  vítima da voragem do turismo. 



Meu nome é Cristiano Ronaldo



Enquanto a SIC continua a exibir despudoradamente os interrogatórios a Sócrates, numa luta titânica com a CMTV pelo título de canal  de televisão mais pornográfico o MP, depois de muito instado, lá  informou que vai abrir um inquérito.
Todos sabemos  o resultado da abertura de inquéritos: NADA, NICKLES, BATATÓIDES. Assim sendo, lá mais para as calendas ficaremos a saber que não foi possível   apurar quem foram os responsáveis pela fuga de informação.
Ficaremos também sem saber como é que foi colocada uma câmara na sala de interrogatórios, mas ficamos desde já a saber uma coisa: se o que vimos são as provas de acusação a Sócrates, então o ex-pm pode dormir descansado, porque aquilo não tem pés nem cabeça. Chega a ser penoso ouvir a argumentação do Procurador Rosário Teixeira, perante as réplicas - por vezes desrespeitosas- de Sócrates.
Também sabemos de antemão, por exemplos anteriores de exibição de interrogatórios, que a SIC não será penalizada,
Não sabemos é se, depois de tanta violação dos mais elementares direitos de cidadania, algumas almas piedosas continuarão a considerar JMV, a melhor PGR de todos os tempos. É certo que nunca houve tanta divulgação de processos em segredo de justiça como com esta PGR e isso interessa à  comunicação social  que se alimenta de sangue e escândalos, mas é legítimo perguntar: se a PGR não consegue sequer descobrir quem anda violar os direitos dos arguidos, o que anda ela a fazer? 
Com toda a franqueza vos digo. Se JMV é a meljhor procuradora de todos os tempos eu- que até nunca tive jeito para jogar à bola- sou o Cristiano Ronaldo.
Tenha pudor, senhora PGR e demita-se. Hoje ainda, porque ontem já era tarde!