sexta-feira, 30 de março de 2018

Tradições da Páscoa




Os coelhinhos, as amêndoas, o pão de ló e o compasso são tradições da Páscoa que remontam a tempos ancestrais
Nos últimos anos, nasceu em Portugal uma  nova tradição Pascal que, segundo creio, é única no mundo. Todos os anos os trabalhadores dos museus e monumentos assinalam a data com uma greve. Com ou sem coelhinhos.

Paixão, Paixão

Quando um primeiro ministro é escutado ilegalmente 212 vezes é legítimo questionar quem seria o juiz ( a juiza) que estaria tão perdidamente apaixonado por ele!
AVISO: Este post não é uma defesa de ninguém, é uma manifestação de medo pela justiça que (não)temos.

A Vitória de Puigdemont




Independentemente da opinião de cada um sobre a causa catalã, a personalidade de Puigdemont, ou a estratégia dos independentistas, uma coisa é certa: Puigdemont conseguiu europeizar a questão catalã, um dos seus objectivos. Lê-se a imprensa alemã,ouvem-se os comentários e opiniões dos partidos alemães e fica-se com a convicção de que saiu o tiro pela culatra a Rajoy e ao PP. Ao optar por ser preso na Alemanha, Puigdemont conseguiu o que não almejou durante seis meses em Bruxelas. O assunto é debatido a nível europeu e pode provocar reacções que se reflictam noutros países. E se a Alemanha decidir não extraditar Puigdemont ( o que até não me parece assim tão improvável) e o Comité dos Direitos Humanos da ONU- que deu uma reprimenda a Madrid no caso Sanchez- ter aceite a queixa de Puigdemont, pode muito bem acontecer um novo revés para os constitucionalistas espanhóis.
Se Rajoy fosse russo, húngaro, romeno ou polaco, seria um temível ditador ou, no mínimo, um autocrata que prende os adversários políticos. Sendo espanhol e mesmo recusando-se aceitar os resultados eleitorais, Rajoy ainda  é visto como um democrata a defender a unidade de um país que é um aglomerado de povos distintos onde é difícil encontrar unidade.
Tudo pode mudar se a decisão sobre o futuro de Puigdemont passar por Bruxelas e houver consenso que se trata de um preso político.  A partir desse momento, Rajoy estará metido num grande imbróglio.
A justiça alemã tem até 90 dias para tomar uma decisão sobre a extradição de Puigdemont. Quanto mais tardar a decisão, mais provável é que estejam a decorrer negociações para que Rajoy mostre alguma flexibilidade e, pelo menos, respeite os resultados eleitorais.
Se houver extradição, Rajoy terá de prender muitos mais catalães, pois o povo catalão não acatará sem luta a tirania de Madrid.