segunda-feira, 26 de março de 2018

A Estatística e as Cornélias do CDS




A Estatística é a ciência das conclusões absurdas. Só a estatística consegue a extraordinária proeza de por duas pessoas a comer meio frango cada quando, na realidade, uma delas comeu o frango inteiro, não deixando nem um ossinho para a parceira.
Foi com base nesta ciência, que o défice (real) de 0,92%, disparou para 2,96%, por força de uma operação financeira na CGD.
Fiquei a perceber como foi possível este agravamento fictício, pelas palavras do dr. João Loureiro na RTP 2. Fiquei a saber através dele - e das notícias de vários órgãos de comunicação social e estrangeiros-  que a UE não deu qualquer importância à decisão do Eurostat mas, porque em Portugal é preciso haver alguém a indignar-se, as Cornélias do CDS saíram à liça para dizer que o governo não cumpriu o défice e aldrabou as contas e outros disparates quejandos. 
Se as Cornélias do CDS insistirem nesta política de bota abaixo, a qualquer pretexto, correm o risco de ficarem tão descredibilizadas como os coelhos do laranjal. E,como acontecia na Visita da Cornélia, a sentença do júri será a eliminação. Neste caso, por falta de qualidade para participar no jogo da democracia.

Portugueses adoram um par de cornos




Já se sabia que Gabriela Canavilhas vê nas touradas cultura e Assunção Cristas um bailado.
Já se sabia que há inúmeros grupos de aficionados por esse país fora , dispostos a defender as touradas até às últimas consequências, afrontando a lei.
Há dias, na sequência de um referendo na Academia,  a Comissão Organizadora da Queima das Fitas de Coimbra anunciou o fim da garraiada, respeitando assim a decisão referendária. 
Ao conhecer os resultados, o Dux Veteranorum  marimbou-se  para a democracia e garantiu que haveria garraiada.
Não consigo encontrar outra explicação para a paixão desmedida de portuguesas e portugueses pela tourada, a não ser uma enorme atração por um par de cornos.
Razão tinha o Juca Chaves quando cantava "Esta é a vida que eu sempre quis/ eu sou cornudo, mas eu sou feliz"