quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Uma Alma Inquieta



Eu sabia há três anos que Ela me viria bater à porta a qualquer momento, mas não sabia como seria informado da sua chegada.
Desde Maio que peço, quase diariamente que Ela venha depressa
Há pouco mais de duas semanas fez-se anunciar por um mensageiro  que me avisou da Sua chegada eminente.
Quando a pressenti a pairar sobre o terraço suspirei de alívio e até lhe agradeci. pois foi sempre meu desejo morrer a ver o mar
Preparei-me com tranquilidade para a partida mas ELA, cínica e perversa. tinha-me reservado uma surpresa. Em vez de entrar em casa e me levar sem delongas,  sentou-se ao meu lado no baloiço do terraço, paralisou todo o lado esquerdo do meu corpo e retirou-se dizendo: já não te resta muito tempo, mas ainda tens uma missão a cumprir. Volto quando tiveres terminado.
Quando estava no Hospital de Cascais, pensei que a Cabra queria que eu, num assomo de fúria, escrevesse um post irado a denunciar a foma ignóbil como fui tratado, especialmente por uma enfermeira que às 5 da manhã deve ter saído do bordel directamente para o hospital com o objectivo me azucrinar a vida e a da Baixinha que me acompanhava. Mais tarde, depois de quatro horas  à espera de uma ambulância que me transferisse para o Hospital de Santa Maria ( onde fui muito bem tratado, embora dispensasse ouvir as discussões sobre questões laborais e competências de algum pessoal de enfermagem) confirmei que entregar o negócio da saúde a entidades  privadas cujo único objectivo é o lucro foi um erro colossal e desejo que os mentores das parcerias público - privadas na área da saúde sejam exemplarmente punidos pela abstrusa e inadmissível opção que tomaram ao entregar o negócio da saúde a uma mafia de chulos que deviam estar presos e ter os seus bens confiscados eternamente.
Duas semanas depois o post “Uma noite com os VAMPIROS “, alinhavado na minha cabeça, com o intuito de denunciar os negócios da saúde, está por escrever, porque percebi que a MAGANA, afinal foi condescendente e pretendeu dar-me oportunidade para me despedir doa leitores do CR que ontem completou 11 anos e lhes agradecer toda a simpatia, generosidade e compreensão que tiveram comigo durante o tempo em que o CR durou.
Creio ser uma data bonita para me despedir, dar por terminada a minha aventura na blogosfera e vos dar a garantia de que, seja qual for o sítio para onde a Magana me leve, tudo farei para continuar a ser a alma irrequieta e inconformada que fui neste planeta. O qual- diga-se- não me deixa saudades, pois está cada vez mais mal frequentado, por pessoas obnibuladas pelo consumismo, sem qualquer sentido de decoro, que desconhecem os princípios básicos da educação e não se importam  de  ser governadas por crápulas do tempo da Idade da Pedra, que pretendem por os ponteiros do Relógio do Tempo a andar para trás.
Quero por isso que saibas, Magana, que te estou muito grato por me libertares deste fardo que é a vida neste Planeta e ainda por cima me teres dado oportunidade de me despedir condignamente dos meus estimados leitores, a quem renovo os agradecimentos por todas as palavras amáveis ou críticas que me dirigiram ao longo de 11 anos.
Quanto a ti, Magana, vê lá se me levas para um sítio decente onde valha a pena viver e não haja Facebook, nem Twitter  onde as pessoas põem  a nú a sua verdadeira(má) índole. Uma sociedade onde haja apenas blogosfera e os governantes sejam gente decente, deve ser um local muito mais aprazível do que isto.
Como há dias me dizia um amigo, isto aqui já deu o que tinha a dar.  
Fiquem bem e façam o favor de ser felizes! 
Até um dia, num qualquer  IQ 84, em convívio com Murakami.

49 comentários:

  1. Como podemos ficar bem e sermos felizes quando lemos um texto de despedida?

    Como não tenho palavras para expressar o que sinto, abraço simplesmente o Carlos com amizade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a Teresa permite , assino por baixo .

      Apertado abraço, Amigo!

      Eliminar
  2. Não sei como conseguiu escrever um texto destes! Eu nunca seria capaz! Estou estupefata por um lado e fascinada por outro! Deus do céu, que coragem!
    Já estou como a Teresa de Düsseldorf ali em cima: não sei que dizer, por isso aqui vai o meu abraço mais apertado que significa que gostei MUITO de o conhecer aqui pelo seu blog.

    Bem haja e até sempre!

    ResponderEliminar
  3. Um grande abraço Carlos. Parece que não é desta que nos vamos conhecer pessoalmente. Que dizer mais!

    ResponderEliminar
  4. Sabes que nunca fui de grandes discursos e face a este corajoso e lúcido texto de despedida, as poucas palavras que utilizo nos comentários, mirraram ainda mais.

    Porém de uma coisa podes ter a certeza, Carlos, ficarás guardado no meu coração enquanto eu por aqui cirandar ( e como creio que a Vida continua, depois também - até porque na próxima reencarnação te quero abraçar).

    ATÉ SEMPRE, AMIGO !!!

    ResponderEliminar
  5. Que isso gente ? Estou é preocupada... essa despedida surpreendente assim mata qualquer um de susto E eu que queria ainda tomar um cafezinho numa varanda por aí com o Carlos ? como fico ? rs Um abraço e deixe de gracinha Volta logo.

    ResponderEliminar
  6. Carlos pioraste?
    Estás a despedir-te?
    Nem sei que dizer...correm-me as lágrimas pelo rosto!
    Diz-me que foi apenas uma recaída...

    Deixo-te aqui um beijinho especial e um xi apertadinho.

    Elisa

    ResponderEliminar
  7. Francisco de Sousa Rodriguesquinta-feira, 06 setembro, 2018

    Queremos sempre que esse dia não chegue para aqueles que gostamos.

    Espero que reencontre a "joie de vivre" na Eternidade.

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  8. Estou sem palavras! As lágrimas correm-me pela face! Um grande abraço Carlos.

    ResponderEliminar
  9. O que dizer perante um texto que entrou pelo meu peito e apertou-o.
    Acredito que tem que haver um sítio mais justo e melhor do que este e espero sinceramente encontrá-lo lá um dia amigo Carlos.
    Até lá!

    Beijinho com amizade e admiração!

    ResponderEliminar
  10. Dói muito ver-te assim.Até sempre, Carlos.

    ResponderEliminar
  11. Poucos escreveriam numa altura destas, algo de forma tão profundamente intrínseco a si mesmo.

    O Carlos marcou tantos, mas tantos de nós, seus leitores e amigos, que é por isso, que a magana só o levará a si, quando também levar o último de nós.

    E não me saem mais palavras, só que o meu pensamento e coração estão consigo até ao último ponto final.

    Do melhor que o meu Blogobairro me (nos) trouxe.

    ResponderEliminar
  12. Não sei que escrever! As lágrimas correm desalmadas e o meu peito parece que vai rebentar de tanto aperto.
    Não encontro palavras para exprimir o meu sentir remeto-me ao silêncio com dor no coração.

    Forte abraço meu amigo, sinta-o.

    ResponderEliminar
  13. Para já fica aqui o meu abraço. Um forte abraço. Onde quer que se encontre – no hospital, em casa... - , não será esquecido. Ficará para sempre na minha memória como um homem que nunca se coibiu de dizer/escrever o que sente, o que vê e ouve e como interpreta o que politicamente e socialmente vai decorrendo no país onde reside e no mundo em geral. Habituei-me às palavras que nunca poupou para descrever situações. Aplaudi-o muitas vezes. Sorri outras tantas. Critiquei talvez de início essas palavras fortes que lia e depois habituei-me. Aceitei. E concordei!!
    Um homem do mundo, um homem que viu e sentiu mais do que a maioria, com um sentido de justiça, de minuciosidade, de integridade e de um profissionalismo que merece o nosso apreço e reconhecimento. Jornalistas como o Carlos “já não se fazem”!
    Bem haja

    ResponderEliminar
  14. Oi Carlos
    Não estou querendo ir embora daqui. Sua página aberta desde que li no facebook essa mensagem que dói nosso coração.O meu,especialmente.Ainda espero conhecer-te, sentar num café e ficar a conversar. Conhece-lo pessoalmente seria um prazer enorme.E comovo-me em pensar o contrário.
    Desejo que esteja em se recuperando pra voltar para todos que te admiram ok?
    grande abraço

    ResponderEliminar
  15. Nem sei o que escrever, Carlos.
    Recuso despedidas!
    Não quero!
    Só lhe mando um grande abraço e lhe desejo um bom fim-de-semana.
    Temos muito que discutir acerca de política, de bola, de música, de tudo o que é porra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu recuso despedidas.

      Quem tem força para escrever um texto de tal maneira poderoso, também tem forças para aceitar uma doença madrasta.

      Os melhores momentos na blogosfera foram as nossas discussões sobre política.

      Respeito o que o Carlos sente, mas eu continuo a querer a sua valiosa presença.

      Beijos da amiga *tuga* com os votos de um bom fim-de-semana.

      Eliminar
  16. Vou fazer minhas as palavras do Pedro, se este não se importar. Estou emaranhada no meio das palavras...
    Carlos, um abraço profundo e um até já. ❤

    ResponderEliminar
  17. Até sempre Carlos. A gente um dia junta-se para um copo. E obrigado por tudo por todos estes anos....

    ResponderEliminar
  18. Até um dia... Com uma lágrima no canto do olho.

    ResponderEliminar
  19. Porque tive a felicidade e a honra de conhecer a pessoa mais interessante do mundo, por gostares de mim, por me fazeres falta por tudo isso sei que continuarás sempre desafinado enquanto eu não maganar.

    ResponderEliminar
  20. É dificil dizer o que sinto. Continuarei a visitar o blog.

    ResponderEliminar
  21. Só mesmo o Carlos para me fazer voltar à blogosfera, onde já não vinha há tantos anos. Deixei-lhe uma mensagem no messenger e esgotei lá as palavras todas que consegui reunir. Aqui deixo apenas um terno abraço e uma música para o embalar. Penso que vai gostar.

    https://www.youtube.com/watch?v=PXQh9jTwwoA

    ResponderEliminar
  22. Não é uma despedida, é um até logo. Espera por mim e pelo resto do quarteto, alma irrequieta, que tu és a cola que nos une e o exemplo que nos faz seguir em frente. Tchin, tchin, Amigo, um brinde ao ser humano incrível que és! (Maria Coelho)

    ResponderEliminar
  23. Leio-o sempre em silêncio. Desta vez, abro excepção para lhe enviar um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço minhas as suas palavras. Abraço

      Eliminar
  24. Não quero que seja uma despedida, quero poder voltar aqui e poder continuar a ler o que escreve, concordando ou divergindo, às vezes comentando, crendo que nos vamos conhecendo e que é mais real para mim do que pessoas com quem posso interagir mas não conheço, respeito-o, gosto de si, e não quero que seja uma despedida!
    um abraço
    Gábi

    ResponderEliminar
  25. Meu caro
    E com bastante magoa que leio a sua sentida despedida deste seu blogue CR que eu tive sempre a sorte de partilhar. Despeço-me com a alma em pranto ate sempre amigo num qualquer IQ 84, em convívio com Murakami..............

    ResponderEliminar
  26. Carlos, infelizmente nunca nos chegámos a cruzar nos nossos almoços de Bloggers. Abraço !

    ResponderEliminar
  27. Estive aqui ontem. Li, reli, e não consegui escrever uma linha de tal modo me sentia. Voltei agora, reli a mensagem e continuo sem palavras. Não sei lidar com as despedidas, doem demais. Deixo-lhe um abraço

    ResponderEliminar
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  29. Não nos conhecemos pessoalmente mas vai fazer-me falta!
    Passei bons momentos a lê-lo!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  30. Uma Alma Inquieta, alojada num Corpo de Coração Irrequieto.
    Talvez por sermos tão parecidos tivéssemos batido de frente algumas vezes. Como essa Magana também me começou a ameaçar, quem sabe ainda possamos pôr a nú algumas coisas que ficaram por esclarecer.

    Um abraço, Homem de antes quebrar que torcer.
    Dizer adeus? Nunca!

    ResponderEliminar
  31. Cheguei hoje de férias. E porque nestes dias não usei computador, não vi televisão, não li jornais nem ouvi rádio, estou a leste de muitas coisas.
    Dou conta do que o Carlos chama despedida. Fico atónito, sem palavras.
    Consigo, com esforço, esboçar um sorriso, daqueles que nos saem quando percebemos estar na presença de seres humanos capazes de nos dar uma lição de vida. Sim, o Carlos é um desses seres humanos. Que pena não ter tido o privilégio de o conhecer pessoalmente.
    Despedidas, não, não quero. Atrevo-me a abraçá-lo com a força suficiente para me sentir.
    Bem haja, Carlos, por tudo o que nos ofereceu aqui neste Rochedo com Crónicas. Obrigado por se ter mostrado uma pessoa com coluna vertical, sem sinais de curva diante de quem não presta. Como eu gostava de ser assim, Carlos!
    Esteja onde estiver, aceite a minha estima sincera, sem cinismos, falemos de futebol, de política ou de outra coisa qualquer.
    Até já ... AMIGO!

    ResponderEliminar
  32. CARLOS!!!!! Um grande abraço. Desde um encontro que tive com o Paulo Coelho, numa revista, estava no consultório de uma médica, na Av. de Roma, (consultório que também já fechou por causa da lei da Rendas, da malvada Cristas) que eu sabia que não voltaria à Argentina, sentar-se na margem do Rio da Pedra. Todos os dias tenho procurado notícias, aqui e até nos jornais, mas só hoje vi este valente e doloroso postal. Se era este o único Blogue e, às vezes, o Jumento, o que é que eu vou fazer? Sempre que a dor me atormenta tenho falado mal do Assassino Hospital de Cascais; desde que fizeram um novo edifício, todos os amigos que para lá foram, ou foram recambiados para Santa Maria ou foram para o crematório. Eu própria, este ano, tive de chamar um táxi e fugir de lá, por falta de assistência.

    Precisamos de si para chamar a atenção desta canalha, sem sentir e sem vergonha. Este mundo não tem emenda, parece que não tem História, nem Memória para tomar consciência dos problemas.

    Vou colocar o seu Postal, com perfil público, no meu Facebook, e enquanto eu for viva (acho que também não será por muito tempo), a sua memória será reavivada lá.

    Só lhe desejo que a sua viagem não seja dolorosa, há formas de a tornar amena, e que apesar de tudo, talvez, um dia, o Mundo se torne melhor e haja, JUSTIÇA, SAÚDE, AMIZADE, AMOR e ALEGRIA para todos os que merecerem.

    Um GRAAAANDE ABRAAAAÇO para SEEEEEMPRE!!!!.............

    G. Viegas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não devia fazer isso, Atena...Pois será ir contra a vontade do Carlos. Não leu esta frase?:

      ...me levas para um sítio decente onde valha a pena viver e não haja Facebook, nem Twitter....

      Espero, com um desejo muito intenso, que o CBO ainda possa cá vir dizer-lhe isso.

      .

      Eliminar
    2. Assino por baixo, Janita, a chamada de atenção que fazes à Atena.

      Eliminar
  33. Carlos,
    Como já te deves ter apercebido, deste-nos um valente murro no estômago. Mas nós ficamos aqui, firmes na mesma, porque nunca se viram as costas a um amigo.

    Beijinhos com amizade

    ResponderEliminar
  34. Continuo a vir aqui todos os dias. Não posso, não quero acreditar nesta despedida! Espero um sinal, uma palavras, um sorriso...

    Beijinhos, amigo!

    ResponderEliminar
  35. Olá Carlos


    Fico trite em saber que cheguei ao seu blog em um período tão difícil...

    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  36. Aceito as chamadas de atenção, mas não penso que o Carlos pense da mesma maneira. Eu também não gosto do Facebook, mas nós só estaremos vivos enquanto vivermos na memória dos nossos amigos!!! dedo confessar que ainda não consegui ler todo o postal dos Carlos
    porque os olhos cheios de lágrimas não me deixam. Ainda hoje estão inchados e agora mais ficaram. No meu FB Só tenho pessoas conhecidas e amigos de respeito, que só têm posto tristeza ou gosto, Se for viva espero que o FB para o ano me lembre desta memória, que eu não vou esquecer. Amanhã fazia anos o meu amigo que morreu no Hospital de Cascais, que quase lá ia apodrecendo e nem chegou a saber que tinha um cancro no pulmão porque só muto tarde resolveram fazer uma biopsia e o resultado chegou no dia que ele morreu. Ele era sempre o primeiro a dar-me os parabéns e sempre escreveu e recebeu postais até pelo natal com que enfeitava a sua casa. pelos meus anos Não quero que o Carlos
    sofra, mas ao menos podia fazer mais um aniversário, não sei para quê.
    Se a Janita se lembrar do MUrcom, o último postal foi dedicado a uma excelente colaboradora, que escrevia muito bem e adorava música, o pseudónimo dela era a da protagonista da ópera "A flauta Mágina"-Pamina- mas o nome dela era Maria.
    Boa Tarde a todos.

    Pode ser que o Carlos ainda aqui possa vir ou dê instruções à "Pequenina" sobre o Blogue de que el também queria festejar mais um ano-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não pretendi trazer-lhe sofrimento, Atena. Acredite que lamento, se isso aconteceu.

      Lembro-me sim, desse último postal no Murcom ter sido dedicado a uma leitora que partiu.

      No próximo dia 24 de Outubro, o Carlos fará sessenta e nove anos. Tomara que ele venha até cá...
      É 'Baixinha', Atena.

      Boa noite.

      Eliminar
  37. Não resisti e tive que aqui voltar para deixar mais um beijinho.

    ResponderEliminar
  38. Reparei que a sua escrita estava "parada". Como o lia todos os dias,deu para perceber que houve alteração na sua saúde, estive uns dias afastada dos " blogs",e hoje ao ver a oportunista Nádia de Pedrógão na SIC/N,pensei logo em si!Nem sei o que lhe dizer,não o conheço pessoalmente,mas acredite,tenho um imenso nó na garganta. Também detesto despedidas. Obrigada pela sua frontalidade. Um Abraço.��

    ResponderEliminar